quinta-feira, fevereiro 28

Promessa sendo cumprida

Prometi que tiraria uns dias das minhas férias para visitar os meus velhinhos. Ontem foi o dia da minha Madrinha. Ela me disse que as amigas dela estavam todas com inveja: Afilhados só visitam na Páscoa e no Natal...enquanto ganharem presentes. Depois somem.
Mais ou menos meu caso. Parte porque ela se mudou para um pouquinho longe, parte porque eu tinha outras coisas por fazer. Mas assim é a vida.
E como ela borda e faz ponto cruz e cozinha.
Presidente da associação de senhoras da Igreja, usa seus dotes para reforçar a renda, mas sobretudo para se divertir. Entre um doce e outro, e um sotaque alemão bem carregado, uma história e um beijo.

Beijos da gorda

PS. Quem é meu amigo no FB vai lá ver as fotos das maravilhas que são meu tio e minha madrinha.
PS2. Coincidências da vida, ontem fui jantar na casa de uns amigos que moram hoje na casa que era do meu padrinho que faleceu em 2004. Juro que o coração apertou.

quarta-feira, fevereiro 27

Resgatando um pouquinho de mim

Ontem fui visitar um tio que fazia muitos anos que não.
Bem alemaozinho, bem tradicional. Atrás do balcão, ainda, no alto dos seus 76 anos.
Me recebeu com um sorriso enorme, chimarrão pronto, bom humor e muitas histórias sobre meus pais.
Uma tarde maravilhosa.

terça-feira, fevereiro 26

E a partir desta sexta-feira, meninos + meninos e meninas + meninas poderão se casar exatamente da mesma forma que meninos + meninas se casam nos cartórios em São Paulo...
Parabéns a mais este avanço!

A hipocrisia nossa de cada dia

Cada dia que passa vou ficando mais enojada com o moralismo barato e a hipocrisia das pessoas desse nosso país.

A moça (nem tão moça mais assim) foi, resolveu passar o carnaval na praia, conheceu o rapaz e se excedeu horrores, alguém filmou tudo. Pra quem não tá sabendo da historia, é o caso da dona de casa e do garotão em Rio das Ostras, que na frente de todo mundo, praia lotada, no meio da tarde, pleno carnaval, resolveram  extravasar o desejo dentro d'agua, ali mesmo, sem medo de ser feliz, como se não houvesse amanhã.

Tá, não foi legal. A praia tava cheia e eles nem pra um cantinho escondido foram. Foi ali, no raso, na frente de todo mundo mesmo. Bem escandaloso, diria eu. Mas ai, gente, que saco! Já fizeram o que tinham que fazer, vaiaram, a coitada passou uma vergonha danada, chamaram polícia, eles foram pra delegacia, acho que levaram uma chamada, atentado ao pudor, já tá suficiente pra aprender que tudo tem limite e pra se arrepender dessa tarde pelo resto da vida, certo? (Tá, tenho que ser sincera - na verdade estou considerando meio que a moral geral das coisas, as convenções de pudor, etc, porque eu particularmente, se fosse considerar só o meu julgamento pessoal, acho tudo uma bobagem! Ver um casal transando, pra mim, não me agride em absolutamente nada! Pode até não ser legal pras crianças, ok, mas ainda assim, acho pior criança presenciando violência, gente se agredindo verbalmente, chutando cachorro, bebendo horrores até cair, do que presenciando um ato de amor... mas enfim, aceito a moral vigente, e por esse padrão, concordo que a coisa foi excessiva...).

Agora, passada a confusão, o que estão fazendo com essa moça é uma abominação, gente! A coitada está sendo crucificada. Um senhor que estava na praia está querendo entrar com uma ação de danos morais, porque se sentiu ofendido. A diretora da escola dos filhos dá entrevista dizendo que ela merecia uns tapas. A coitada é pobre, mora em um lugar humilde, em uma rua sem calçamento, não tem como se defender, não pode pagar advogado, e é uma pessoa simples. Envergonhada, acuada, exposta, e todo mundo se deleitando, apontando dedo, criticando, xingando, julgando... pelamordedeus! Ninguém saiu machucado, ninguém viu nada que já não tivesse visto antes, que hipocrisia e falso moralismo horrorosos!

Vamos deixar essa mulher em paz. É uma pessoa comum, tem filhos, uma vida pra tocar, e a achincalhe público está muito desproporcional ao deslize que ela cometeu, nénão?

Bora deixar de ser bundões, Brasil!!

segunda-feira, fevereiro 25

E o Oscar hein?

Cada ano que passa vejo menos filmes "do Oscar" antes do Oscar. Cada vez fica mais difícil ir ao cinema. Não é pela falta de tempo não, é pelo descaramento de cobrar R$30,00 a R$35,00 por uma cadeirinha apertada em salas nem sempre tão boas. Isso fora os modernos 4D que podem custar a falácia de até R$80,00.

Poderia até baixar, mas tenho evitado baixar filmes e músicas. No fundo, no fundo a gente sabe que compartilhar pela internet não é certo, então como há "opções pagáveis" e legais, acabo optando pelo i-tunes e pelo Now mesmo. Para seriados não há jeito. Tudo pirata. Mas a seleção do Now não muda a tempo para o Oscar.

Enfim,  já tinha visto alguns e até tinha meus preferidos. Tirando o Ang Lee, meus candidatos levaram. Não via a Vida de PI ainda, estou esperando pelo Now, mas conheço bastante da obra dele e há de se reconhecer, diretor super competente.

E vocês? Alguma surpresa? Alguma decepção?

PS: Vou pagar as 30 dilmas para ver o Lado bom da


Lips da Lili - Oscar

Globo transmite a entrega do Oscar... de Melhor Filme. De novo. E só isso. Agora, me fala se não é uma puta sacanagem esses safados comprarem o direito de transmissão e NÃO TRANSMITIREM?

*
Eu sempre digo, afirmo, brado aos sete ventos o quanto um corte Joãozinho faz bem para o look de uma mulher. Nem todas. Ex: eu, Michelle Williams e Anne Hathaway.

*

A vampira tem cara de vagaba, tá com o braço roxo e a perna quebrada... Eu só consigo pensar em coisas bíblicas com este combo.

*
Queen Latifa tesourando a Renée Zewiurldhglger valeu a noite. Chorei.

*
Sim. Eu [também] estou com birra da Anne Hathaway e, convenhamos, pu-ta-dis-cur-so-cha-to. 

*
Aí entra a Charlize Theron pracabá com a brincadeira. De Joãozinho, linda que chega a doer e esbanjando o seu único defeito: não ter encarnado na minha alma. 

*
E tem também Jane Fonda. 75 anos. Divina num vestido amarelo-marca-texto. Tomemos todas nas nossas respectivas caras, meninas.

*
E agora? Como desligar a TV com o Javier Bardem lá dentro?

domingo, fevereiro 24

My mistake.

Eu sempre digo, afirmo, brado aos sete ventos o quanto um corte Joãozinho faz bem para o look de uma mulher. Nem todas. Ex: eu, Michelle Williams e Anne Hathaway.

De qualquer forma, podem continuar.

Os homens que me acham muito bonita sempre apresentam algum problema nas vista - e isso é auto-explicativo. Por exemplo, a de hoje: "você é parecida com a Jessica Chastain".
Má má má onde, platéia? Além do branco da pele e do branco dos olhos?


Da série: dicas para me matar.

Me abrace usando um perfume forte.
Se em 10 minutos eu não conseguir trocar de roupa e/ou me lavar, a respiração é interrompida.

Django Django.


Uma das revelações da música inglesa no ano passado.

sexta-feira, fevereiro 22

Choro mares de desesperança todos os dias. Em alguns deles me afogo até a morte. Não é simples morrer e renascer tantas vezes. A cada dia surgem mais cicatrizes no corpo e cada vez mais sequelas na mente... Não é possível respirar da mesma forma. Não é possível parar de chorar.

Amigos...

... por favor, estamos precisando de uma forcinha. Falta dindim para pagar o tratamento médico de 3 cães e a manutenção de outros 25. Quem puder fazer uma boa ação, aqui está a chance. A hora é agora.

Obrigada!

segunda-feira, fevereiro 18

Podem confiar que eu tenho bom gosto.

Tulipa Ruiz e Céu.
As duas made in Brazil mais deliciosas sobre um palco com um microfone na mão.
De graça.
Em Sampa.
Eu ésse dois Sampa. Forevá!

Daqui.

Da série: As melhores frases lá de casa.

Eu na sala. Mãe na cozinha, ao telefone:

Ela: - Reclamação.
[tempo]
Ela: - RECLAMAÇÃO.
[tempo]
Ela: - RE-CLA-MA-ÇÃO!
Eu: - Fala "Speedy", mãe!
Ela: - Speedy.
[tempo]
Ela: - Sim.
[tempo]
Ela: - SIIIIIIIIIIIM.
Eu: - Deus do céu, eu queria morar numa tribo indígena, sem banheiro, sem luz, sem internet, sem telefone, sem empresas de fornecimento de gás encanado...
Ela: - Mas com um barbudo.
Eu: - Com um barbudo.

"O Amor e Outros Estranhos Rumores"

Lindíssimo espetáculo. Quem tiver a oportunidade de assistir, não perca.



domingo, fevereiro 17

Para ir a outra dimensão.

Por favor, ouçam isso. Sério. Não vão se arrepender.

http://youngcolossus.bandcamp.com

Acorda pra vida!

Ao dizermos "o amor é cego", pensamos imediatamente - para não dizer exclusivamente - na cegueira que afeta a nossa percepção em relação à pessoa amada.
Somente hoje, ao observar um certo alguém louco de amores por uma determinada criatura, percebi que, na realidade, a cegueira do coração modifica o mundo. Ficamos cegos para as obviedades; Ficamos cegos para as coisas que acontecem ao nosso redor; Cegos para enxergarmos as pessoas que estão por perto; Cegos para visualizarmos qualquer outra possibilidade de existência sem o ser amado.
E eu pensado nisso somente agora, com a minha certidão de nascimento completando 30 anos de existência e trazendo na bagagem dois longos [ex-]namoros (6 e 4 anos).

sexta-feira, fevereiro 15

The Asteroids Collide - música para hoje.

[desculpem. estou sem psicólogo. virem-se comigo.]

O constante pensamento "eu não tenho nenhuma habilidade ou conhecimento profundo sobre nenhum assunto" revela minha preguiça crônica, minha hereditária falta de memória, minha baixa auto-estima ou tudo isso junto?

quinta-feira, fevereiro 14

Que tempos!

A febre do momento na roça - além das reuniões em postos de combustível e da adesivagem de carros com imagens que lembram histórias em quadrinhos - é fazer festa de aniversário com mais de 500 convidados via Facebook. Cada qual leva a sua própria bebida E o seu método de mantê-la gelada, se for seu desejo. O aniversariante não conhece nem 10% dos convidados.
Eu, que acho tudo muito estranho, estou convidada para uma meia dúzia de festas de gente que nunca vi. Não vou. Eu sou uma velha. Não me adapto.

quarta-feira, fevereiro 13

Maquininha de remoer emoções.

Estava vivendo num estado de constante estresse. Não costumo deixar que nada transpareça. Só a irritabilidade e o mau humor poderiam me denunciar, mas como já fazia anos que cultivava um humor infernal, ninguém nunca notou a diferença. Ninguém, com exceção do meu estômago. Criei uma maquininha de remoer emoções.
De vez em quando ainda me lembro que ela existe. Vez ou outra acabo colocando-a para trabalhar - a gente cria um certo apego pelas coisas que nos fazem mal, vai entender. "Vez ou outra"... Só pelo fato de conseguir escrever isso ao me referir à frequência de utilização do meu pobre estômago como segurador da minha barra, preciso me aplaudir.
Não é fácil. Não é fácil reconhecer, nem aceitar, quanto mais tomar atitudes. Mas, olha, tomemos mais atitudes. Não subestime suas dores. Não subestime seus problemas. Por menores que eles pareçam ser, às vezes a gente simplesmente não consegue se libertar. Às vezes precisamos de ajuda.
Comece escrevendo e conversando. Não guarde. Não se apegue. Fale. Solte. Troque ideias. Abra suas portas, suas janelas, deixe ir. Com tudo aberto você acaba dando chance para outras coisas entrarem, até mesmo coisas boas. Dê abrigo para elas. Para as coisas boas. E siga fazendo a faxina. Chega um dia que fica fácil.

É só por que a gente precisa de um estímulo para se desapegar dos 4 dias de folga...

Tom Hardy. 
Expliquem isso, ateus.

segunda-feira, fevereiro 11

Lips da Lili - Carnaval

[trilha sonora: qualquer coisa que não seja enredo de carnaval]
*
Perdi a única coisa que queria ver do carnaval. Unidos da Tijuca. 
*
Mas assim, já vi que tinha uns 10 barbudos ruivos  na comissão de frente. Por mim, já ganhou. 
*
Rock in Rio só tem rock no samba do carnaval. Percebam a gravidade da frase.
*
E vocês? Estão fazendo alguma bagunça? Eu estou fazendo sessões de Christopher Nolan, uma atrás da outra. O cara é bom, né? Pelamordedeus.

Sho-rey.


domingo, fevereiro 10

Digite "accion poetica tucuman" no Google e procure pelas imagens.
É sério. Essa é uma baita dica.

sábado, fevereiro 9


"I woke up 
With a loved one’s eyes upon me
Loved one’s arms around me
Oh… She’s my one and only"

The Maccabees - Wall of arms
[a arte, perdão, encontrei aleatoriamente no Tumblr, sem menção da autoria]

quinta-feira, fevereiro 7

quarta-feira, fevereiro 6

Status: mijando nas calças.


Aqui tem muito mais. 

terça-feira, fevereiro 5

Marakuthai

Ontem fui ao maravilhoso restaurante Marakuthai. Fazia tempo que uma experiência gastronômica não era tão fantástica que nem nesse charmosíssimo restaurante. Tudo é lindo, tudo é gostoso.

Caro que nem a vida, mas vale cada centavo.

Recomendo muito

segunda-feira, fevereiro 4

Bloqueio

Ando com bloqueio, gente. E meio apática. Não consigo desenvolver nenhum assunto, nada me anima muito a escrever. Quanto tento algo sobre trivialidades, leio e tudo me parece frívolo e supérfluo, sem graça. Quanto tento algo mais profundo, me dou conta que ando mais verborrágica e negativa do que o que seria normal. (digo que ando "mais" porque normalmente já sou um pouco mesmo, né).

Não sei direito o motivo. Talvez seja consequencia de estar em uma fase questionadora, colocando em prática algumas coisas que eu já deveria ter colocado à muito tempo, me defrontando com algumas verdades muito duras, ainda buscando um novo caminho para lidar com minhas novas certezas, ou sem saber direito como as coisas vão ser daqui pra frente. Sabem aquelas situações que desde sempre pediam uma solução drástica, mas que a gente ao invés de solucionar ficava colocando panos quentes, buscando paliativos, porque a tal solução drástica significa queimar pontes, implica em não poder mais voltar atrás? Pois é, andei queimando algumas pontes nas últimas semanas, e ainda não sei direito descrever como estou me sentindo, ou o que isso significa pra mim. O fato é que isso está me tirando o ânimo de escrever, de comentar as coisas, de falar da vida. Falar que o Big Brother tá ruim, que os Miseráveis é maravilhoso, que estou me preparando para uma viagem fascinante semana que vem, que terminei recentemente um livro inesquecível, sei lá - simplesmente não ando conseguindo.

Espero que passe logo - mas preciso de um pouco mais de tempo. Até lá, vou compartilhando meus arroubos aqui com vocês. Uma hora ou outra, sei que vai passar alguém interessante por mim pela rua, ou vou tomar um ônibus em um dia de chuva, ou vou pensar em algo incrível em uma noite de insônia e minhas reflexões voltarão a fluir direito...  Talvez seja mais rápido do que eu pense. Não sei. Da mesma maneira que não estou sabendo terminar o post. Paro por aqui então, com ele inacabado. Como inacabadas estão minhas convicções no momento. Até outra hora, gente!

domingo, fevereiro 3

Choro toda a vez que eu ouço.

Imaginem ontem, ao vivo, cara a cara com ele, que quase chorava também.

 

sábado, fevereiro 2

E agora, José?

Está diagosticado: possuo um SE-VE-RO desvio de septo, que obviamente é a causa de muitos [senão de todos] dos transtornos respiratórios dos quai padeço.

Então, já que vou pra faca devido a septoplastia, aproveito e encaro uma rinoplastia também? Alguém aí tem relato do tamanho do sofrimento? Dicas?

Triste retrato da vida de uma quase 30...

A adulta [no caso, eu - sim, eu sou adulta] presa dentro do carro em meio a uma tempestade com granizo e rezando para que as pedras não amassem a lataria, enquanto uma meia dúzia de crianças vestem biquínis, tomam banho e brincam na rua, na chuva, em meio às pedradas, nem aí...

sexta-feira, fevereiro 1

Add´s da Ad

Desculpe a breve pausa. Faleceu a mãe da minha madrinha na quinta. Estranho dar colo para quem já nos deu tantas vezes. Uma viagem de última hora até POA para poder estar junto de quem a gente ama quando eles precisam.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Hoje visitei uma papeleira em Mogi Guaçu. Não sei quem já teve a oportunidade de visitar uma fábrica de papel & Celulose, mas assim, não há tão lindo quanto uma fábrica destas. Acho que pelo impacto ambiental da operação os executivos capricham nas áreas de reflorestamento, lagos e animais.
E o processo em si é bacana demais.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Sonhei com a Jujubalândia. Éramos empresários de uma banda Gospel. E estávamos para lançar um livro sobre as igrejas de São Paulo. Ela fotografava e eu escrevia.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Na terapia o psicólogo disse, às vezes um sonho é apenas um sonho. Acho que dei um nó nele nessa.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Semana que vem 15 dias na Grande Maçã. Eu, minha ermã, Helena Bener e Tati_tatoo. Em algum momento isto não vai prestar. Ou vai prestar demais.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Balança amada. Menor peso de 3 anos. (ou 4)

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Beijo da gorda.

A mulherzinha grita.

Bom dia para você que começou a sexta-feira quebrando uma unha and o único pó compacto da residência! =)

Pois bem...

Todo mundo está postando e eu ia seguir a moda, just in case de alguém ainda não ter visto... Paperman.
Mas então o Facebook resolveu me presentear com uma maravilhosa indicação de página e toda a doçura que a Disney me proporcionou foi para a casa do c@%@?$0.
"BeefPoint - ponto de encontro da cadeia da carne - www.beefpoint.com.br" foi a indicação do Facebook.
Nem vi muitas coisas na página. Parei no logotipo:


É sério que estamos tão doentes a ponto de achar legal colocar um ser vivo, em pé, com o corpo todo fatiado, aparentemente tranquilo nesta situação, nos observando com calma, assim como na ilustração acima? Vivo, fatiado E tranquilo? Oi?