terça-feira, julho 30

Deus não dá asas para cobras

Tenho um sobrinho LINDO, INTELIGENTE, BOM CARÁTER, SIMPÁTICO E DE FAMÍLIA
Que quer casar e ter família. Que gosta de mulher mesmo.

Tipo, sonho de consumo de 98% da população.

Levou um pé na bunda de umazinha bem meia boca.

Meio feia, meio burra, meio antipática e com um mãe bem feia. Ou seja, medo do futuro.

Falando com ele pelo FB, comecei a passar a lista de amigas legais AND solteiras. Ou seja, a maior parte até porque eu não tenho amigas chatas. Passei o perfil da Lili inclusive. Que é deslumbrante. Chata, na verdade, mas isso a gente não vê pelo perfil.

Ele só me dizia, essa não olharia pra mim, essa não olharia pra mim, essa não olharia pra mim...

E quando eu digo que ele é lindo, to sendo boazinha. Ele é asim, melhor que o Mark Ruffalo.

Eu, se fosse homem, heterosexual, solteiro and bonito, estaria agradecendo a Deus por cada minuto da minha existência.



Pequenas coisas que irritam [profundamente]

Seleção de pequenas coisas que me irritam profundamente, sem critério algum, não necessariamente nesta ordem ou intensidade.

1. A pessoa começa a ligação assim, sem bom dia, boa tarde ou equivalente:
- Viiiiiiiiiiiiiiiiiiiiu, você poderia estar me dando uma informação?
- Não, demônio cubano, não "poderei estar te dando" uma informação.

Outra variação:
- Viiiiiiiiiiiiiu, sabe o que eu queria?
- Não, jacaré de tetas, não sei o que você queria.

2. Gordo(a) sem noção em fila de buffet de festa ou restaurante self service:
O gordo não decide o que vai comer ou decide que vai comer tudo.
Quando não decide o que vai comer, fica indo e voltando na fila, tumultuando as pessoas de bem tentando se servir.
Quando decide que vai comer tudo, empaca a fila violentamente, o prato tá mais alto que o Pico da Neblina e ele tá lá, tentando equilibrar mais uma colherada de farofa nalgum lugar já ocupado.

3. Senhoras de idade fazendo campeonato de doença em sala de espera:
- Eu tenho artrite nas pálpebras, cada vez que eu pisco dói.
- Ih, menina, eu tenho artrite reumatóide nas trompas de falópio, na esquerda é pior, sabe?

4. Adolescentes sem noção ouvindo música sem fone de ouvido.
Porque, claro, quem faz isso nunca ouve uma música que eu gosto. É de Bonde das Maravilhas pra baixo.

5. Caixa de supermercado que passa as minhas compras comentando:
- Nossa, o preço da linguiça hoje tá ótimo, né? Adoooooooooro, hihihihi.

6. e-Jesuítas
e-Jesuítas são a versão moderna dos Jesuítas, aqueles padres que catequisavam os índios na marra. A versão hi-tech quer catequisar todos os contatos, em todas as postagens, em todos os comentários, em todos os likes (não sou contra religião, mas Deus lê pensamento, sabia? não precisa postar)

7. Listas
Mó petulância fazer essas listas.

segunda-feira, julho 29

Minha foto preferida do ano.



A tal da Bus party foi muito divertida. Mas essa foto me faz gargalhar.
Olha o deprezo total da criatura pela "pose"!

domingo, julho 28

sexta-feira, julho 26

O Banheiro do Papa



Dá até vontade de chorar com uma notícia dessas


É muito amadorismo, muito descaso, muita falta de consideração com as pessoas e com o dinheiro público. O mais irônico é que já até existe um filme uruguaio - O Banheiro do Papa - emocionante, muito bonito mesmo, que trata da mesmíssima temática. Impressionante como a realidade se mostrou ainda mais cruel.

Tenho muita pena dessas pessoas, desses fiéis - mesmo os que não sofreram danos, os que só viajaram pra ver o Papa. Pessoas crédulas, bem intencionadas, e que gastaram horas, dinheiro, passaram frio, tomaram chuva, enfrentaram dificuldades, adorando uma instituição que no fundo - tanto quanto o governo - é absolutamente indiferente a elas.

Espero que o Papa tenha pelo menos um pouco de humanidade, de compaixão - pra merecer pelo menos uma pequena fração dessa adoração que ele recebe - e exija uma pequena quebra de protocolo, pra pelo menos dar uma passada com o papamóvel em Guaratiba. É o mínimo que as pessoas daquela comunidade merecem depois de um vexame desses.

quinta-feira, julho 25

Eu sei que a Lili odeia baixaria...

Mas assim, eu daria para todos neste vídeo. TO-DOS. Nada com a letra A.



Mais de uma vez se fosse possível.

terça-feira, julho 23

via SMS

alguém: Qto teeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeediooooooo!
eu: Gent, quem éan?
alguém: Como assim você apagou meu cel?!?!?
eu: Perdi minha agenda toda. Socorro. 
alguém: Hahahahahahaha. 
eu: Quem é?
alguém: Depois te falo pelo Face. Muito massa ficar no anonimato. :)
eu: Meu Deus do céu. Olha, azar o seu pq eu tinha até uma dica pra matar o seu tédio. Hahaha.
alguém: Wow. Tipo?
eu: Te conto no Face. Hahaha. 

Lips da Lili - Beijos e ônibus.

[na vitrola: "kiss and resolve" - The Maccabees]

*
vocês sabiam, gentes da plateia, que existe uma tal de Filematologia que estuda o beijo?

*
e vocês sabiam que a situação anda tão feia para certas pessoas, que tem gente se candidatando para cobaia para estudos filematológicos?

*
Delaidinha tava sem grana e fez a festa de aniversário num busão circular. a melhor e mais fofa cena da noite foi: eu e ela sentadinhas no painel cobrando pedágio dos convidados que entravam (pedágio = beijo) e o motorista, um senhor, hétero, pai de família, sério, uns 50 anos de idade, ganhando selinho de um rapaz que se empolgou no pagamento. meu queixo caiu na hora. perguntei ao motorista: "ele te beijou?" - "sim, mas foi só um selinho".

*
clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap. lindo.

*
e enquanto esperava meu ônibus chegar na rodoviária de São Paulo, observei um casal de dois rapazes, ambos com cerca de 20 anos de idade, se despedindo. trocaram carinhos tímidos durante muito tempo enquanto esperavam o ônibus que levaria um dos dois. era nítido que estavam apaixonados e loucos por um beijo, mas não tinham coragem, diante de tantos olhos.
se separavam. sem beijo. a dor chegou até o meu peito. :(

quinta-feira, julho 18

PÁRABÉNS, ADELAIDE!

Adorei o mimo que Lili te deu de presente, maravilhosa! E é claro que eu não ia querer ficar pra trás, né. Vou fazer igual. Então, toma aí uma foto do Patrick Dempsey, sua linda. Você merece!!

PARABÉNS, ADELAIDE!

Galera, vou lhes contar uma coisa pra vocês: ter uma empregada insolente AND canceriana não é miojo. Toma a sua foto do George Clooney e não enche mais o meu saco.

#xatiada

Nem um parabéns, nem uma foto do George Clooney, nem um bolinho....

Festa passando em branco e essas barangas do blog nem pra avisar que hoje é meu aniversário?

Vou pra outro lugar onde me dêem algum valor...

quarta-feira, julho 17

Podia morrer sem essa

Entre Star Wars e Star Trek eu prefiro Star com Vc.

Pronto, todos vomitando em 3, 2,1...

NY 69



Esta incrível série de fotografias, mostra o verão de 1969 em Nova York. Prestem atenção nas roupas, nos cabelos... em grande parte das situações poderíamos jurar que as imagens são contemporâneas -  os modelos são simplesmente lindos e muito, muito atuais. Eu sempre soube que esse foi o superano do século XX e estas imagens só fazem confirmar - 69, o ano em que euzinha vim ao mundo, realmente arrasou!! 
(e sim, acabo de entregar a minha idade!)

A série completa, com as 31 fotografias está AQUI

Constatação

Dos 350 sintomas de TOC tenho 322. Todos devidamente anotados.
Em ordem alfabética e com a data de cada manifestação.

Urgente: Desenvolver mais 11 para ficar com 333.

"(...) De acordo com a CNN, o músico foi andar de bicicleta antes de uma apresentação da Dave Matthews Band em Hershey, na Pennsylvania, quando seu pneu estourou e ele ficou isolado. 
“Eu não tinha um celular com a minha bicicleta. Então pensei ‘merda’”, disse ele. Emily Kraus e o namorado estavam indo em direção ao show quando encontraram Matthews na beira da estrada e encostaram o carro. Ela ofereceu a carona até o local do show e conversou com ele durante o trajeto. 
“Não sabíamos como conversar com ele”, disse ela. Matthews expressou sua gratidão ao levar o casal para jantar e convidá-los para ir ao backstage e oferecer assentos na primeira fila. (...)"

Daqui.

Vocês mentalizaram essa situação? Sério. Se sou eu a motorista desse carro, amigo Dave, começo a cantar "so here we are tonight, you and me together..." e aí...

domingo, julho 14

quinta-feira, julho 11

Querida irmã,

Esta é uma carta de retratação. Te mandei uma mensagem ontem e, se ainda estiver em tempo, peço que desconsidere. Como a retratação é pública e mensagem foi privada, creio que devo esclarecer brevemente o assunto para os que estiverem compartilhando a leitura dessas linhas - ontem, encaminhei uma mensagem para Lili comunicando o meu afastamento do blog. Os dias estão difíceis, eu ando sem tempo, sem criatividade, lidando com muitas coisas ao mesmo tempo, e sentia que não estava colaborando com o blog como deveria. Achava que deveria deixar o lugar livre para quem pudesse contribuir mais e melhor. Foi isso.
 
Tudo explicado, Lili, venho então pedir que ignore solenemente minha mensagem anterior e se ainda for possível, peço que me seja permitido permanecer como colaboradora nesse precioso espaço. O motivo que me faz mudar de ideia foi o reacendimento da chama que sempre me animou a escrever, a colocar minhas ideias, minhas impressões, minhas bobagens no papel e a compartilhar com quem se dispuser a ler. As leitoras de uma de minhas últimas postagens - especialmente Julia, Joceli e Jujuba - me deram hoje um presente inesquecível quando compartilharam seus relatos cheios de humanidade e compreensão, quando aceitaram o convite para o debate de ideias, e quando falaram suas verdades com tanta elegância, generosidade e honestidade. Você e elas me lembraram a razão pela qual eu estou aqui.
 
De uns tempos pra cá, eu andava com a nítida impressão de que não tinha muita coisa a dizer para alguém. Era como se eu estivesse habitando um mundo particular, que não tinha como ser compartilhado. A cada postagem, eu ganhava um "eca" quase que instantaneamente, qualquer que fosse o assunto. Aos poucos, acho que fui interpretando isso como um sinal de que eu não tinha nada a dizer, uma mensagem de "saia daqui", e inconscientemente isso me foi desencorajando. Uma bobagem, mas que me incomodava pela sistematicidade da coisa. Racionalmente eu me dizia que essas respostas eram uma coisa boa. Elas me permitiam conhecer as pessoas que me lêem, como elas pensam, em que acreditam mas, no meu íntimo, somando isso ao turbilhão de acontecimentos em que minha vida se transformou fui me afastando, ficando evasiva, perdendo o ânimo para falar sobre um assunto, para debater.  Aí, um belo dia resolvo falar das minhas angústias sobre minha relação com uma pessoa egoísta e incrivelmente, as respostas das leitoras fazem com que tudo fique muito mais claro para mim. A postagem foi avaliada com um monte de "ecas", mas isso não me desanimou, porque as respostas foram tão verdadeiras, tão incríveis, mexeram tanto comigo, me fizeram entender mais, mudar de ideia, rever conceitos... e então eu pensei: É isso! É com essas pessoas que eu estou me relacionando, são essas pessoas que estão me fazendo pensar, e que por causa de algo que eu escrevi se animaram a escrever também, a colocar suas experiências e suas visões no papel. Esse compartilhamento que faz a vida melhor, essa capacidade de debater sem ferir, de perceber o alcance das palavras, de poder sentir gratidão por palavras certas, tão bem colocadas, na hora exata.
 
Esses dramas que vivemos, irmã, são de todos nós. Os medos, as angústias, as crenças mais sinceras, tudo. E em dias como hoje, quando, com algumas linhas, pessoas que a gente não conhece pessoalmente, que estão tão distantes e ao mesmo tempo nos são tão próximas e tão íntimas , fazem com que horizontes se abram e que a vida ganhe novos sentidos, a gente entende direitinho o que está fazendo aqui.  
 
Não, não é a aprovação que eu busco. Não são estrelinhas nem coraçõezinhos. É o compartilhamento, essa sensação de entender e ser entendida. A certeza de que eu conheço a mãe da Joceli, de que sei exatamente o que incomoda a Jujuba e de que em muitas manhãs em que parece quase insuportável tirar o rosto do travesseiro e sair da cama para cuidar da vida,o que eu sinto deve ser muito parecido com o que a Julia sente, todos os dias. E essa maravilha de conseguir saber aquilo que é tão dificil de expressar, de poder olhar para as coisas com novos olhos a partir de palavras certeiras, e de ganhar novos motivos para seguir em frente é que me fazem me sentir um pouco mais feliz e um pouco menos só.
 
No mais, querida irmã, obrigada pelo tempo de convivência e perdão pelas ausências. Espero, de verdade, que ainda haja tempo para que meu pedido de ontem não seja irreversível. É muito bom ir levando a vida a seu lado e ao lado de todos os que compõem essa nossa comunidade tão linda, doida e verdadeira.
 
Um grande beijo.
 
Rose.   

Conhecendo o Brasil - Manaus



Conheci um pouco de  Manaus. Muitos sentimentos bem opostos. Passeios incríveis como o encontro das águas, nadar com os botos e o teatro. Passeios horríveis com um dos centros mais sujos que eu já vi e o abandono total do hotel Ariaú, que é vendido como a oitava maravilha do mundo.

Praças impecáveis, como nunca vi no Brasil. Lixo amontoado nas ruas, como nunca vi no Brasil.

Há um gosto local pelo excesso de açúcar, que torna até o cupuaçu, que é azedo, impossível de se comer. Em compensação se apela para sucos diferentes, sem açúcar: Bacuri, taperebá, tucumã (acho que é isso, tantos nomes diferentes)

Peixes muito bons, preparados com a melhor castanha. Não imaginava a diferença no gosto que é comer castanha fresca.

O abacaxi aqui não é um simples abacaxi. É o melhor abacaxi. Em compensação o chocolate não é um simples chocolate. É o pior chocolate (muito doce)

Um céu azul maravilhoso. Uma chuva que cai forte e vai embora. Um povo simples e aparentemente bem feliz. Embora estressado no trânsito. Uma mão no volante, outra na buzina e dois pés no acelerador. A cada esquina um atropelado ou uma batida de carro.

Gostei de ter vindo, mais pelos passeios, que são únicos. Menos pela culinária, que eu achei meio exagerada. Muito açúcar, muita manteiga, muito coentro. Tudo muito. Mais pelo teatro e menos pelo centro. Mais pelo abacaxi do que pelo cupuaçu.

Quem tá pensando em vir, venha logo! vale muito a pena

segunda-feira, julho 8

Cartazes dos mesmos filmes nos EUA e na Europa.


Daqui

Sou só eu...

... ou mais alguém acha o ministro Patriota, no auge da maturidade, um esh-pe-tá-cu-lo, heim?

sexta-feira, julho 5

Ego-depressão

Até respeito quem tem depressão. Sei que é doença, que é sério, que não é um simples mimimi, que não é trivial.


Mas não consigo deixar de pensar que no fundo é uma doença que acomete, na sua maioria, pessoas que tendem ao egoísmo, que acham que são o centro do mundo, que são egocêntricas, que não conseguem se colocar no lugar do outro, que não conseguem enxergar que os seus problemas não são maiores que os de outras pessoas, que não conseguem ser gratas pela vida e pelos privilégios que tem. Esse vazio existencial, essa tristeza, esse luto por nada acaba acometendo quem não tem um horizonte, quem acha que merece mais atenção do que tem, quem coloca sua própria vida na mão de outras pessoas, que cria expectativas relacionadas aos outros, que não precisa trabalhar duro, que nunca fez um trabalho voluntário na vida, que não consegue se sensibilizar com os problemas e com a desgraça alheia. Eu sei, é doença, a pessoa tem que se tratar, mas a vontade que eu tenho, tem dias, é dar umas bolachas bem dadas no meio da cara e mandar arrumar um trabalho.

Desculpem o desabafo, e perdoem aí a opinião leiga, meio destemperada, agressiva, mas é assim que eu realmente estou pensando agora. Acho o cúmulo alguém que tem tudo, que tem uma vida fácil, tranquila, estabilizada, vir atordoar a vida de outra que nunca teve as coisas tão facilmente, que tá ralando pra cacete, no meio de um dia de trabalho, assim... chorando por nada, achando que a vida é uma merda sem saber explicar porque é uma merda, e o que é pior - culpando a todo mundo que está em sua volta pela merda que nem ela mesma sabe dizer qual é.

Antes eu conseguia sentir pena. Agora não consigo mais.

quinta-feira, julho 4

Pois...

Meus últimos dias se resumiram em deletar e-mails, SMSs e ignorar propagandas no Facebook com este teor:



70% de desconto na FARM. Quem estiver podendo, vai lá.

Ei

Vejam esses gifs que incríveis.


Só comigo...

Estou sem fazer nada em Manaus e pensei, vou ver um filmezinho no cinema.
Quando eu saí, descobri que o Shopping foi evacuado por vazamento de gás. Esqueceram o pessoal dos cinemas.

Acabei de ver Guerra do Mundo Z, com zumbis, e encontro shopping vazio. Imagina o pânico...

Toller na sua cara!

51 anos, senhoras e senhores. Eu disse cin-quen-ta-e-um! Paula Toller dá um novo significado à expressão "sambando na cara da sociedade".
Tomou?




terça-feira, julho 2

Porque tudo nessa vida é uma questão de perspectiva...

O técnico da máquina de lavar foi lá em casa ontem - eu não estava em casa, foi a Lou que cuidou de tudo - fez o orçamento e combinou que iria fazer o serviço hoje, entre 13h30 e 14h00.

Às 14h00 em ponto, Lou me liga e avisa que iria atrasar bastante. Ou seja, eu teria que ficar esperando o técnico chegar mesmo. Ligo pro trabalho, remanejo as coisas e deixo tudo mais ou menos resolvido.Afinal, o que seriam alguns minutos, né... de acordo com as informações que eu tinha o conserto levaria só uns 20 minutos pra ser feito...

Às 14h30 dei o primeiro telefonema pra loja - Sim, senhora, estava marcado, ele estava um pouco atrasado mas eu podia esperar que só mais uns minutinhos e ele já ia chegar.

Ás 15h00 eu já estava enlouquecida no apartamento, pensando nos milhares de desaforos que eu ia falar pro sujeito, indignada até a medula com essa falta de compromisso, de profissionalismo, de respeito mesmo, que os prestadores de serviço tem, em geral, no Brasil. Tava com o discurso na ponta da língua - na hora que ele chegasse eu ia falar mesmo, na cara - que só ia deixar ele fazer o serviço porque já tinha acertado com ele, porque EU tinha palavra, mas que aquilo era um absurdo, que eu havia desmarcado compromissos, que tinha ficado mais de uma hora parada, esperando!!! Sério, eu estava simplesmente espumando de ódio.

Às 15h30 toca a campainha. Abri a porta indignada, pronta pra começar a descascar e aí vi o técnico, que já chegou sorrindo - uns 27, 28 anos,  tipo físico assim, do Hulk da seleção, só que aparentemente mais alto e mais magro, cabelo aparado curtinho, barba de três dias mas bem cerradinha, tatuagem no antebraço, aliás, falando em antebraço... não, melhor nem falar... aquele uniforme de oficina -  jaleco azul, sabem?, aberto no peito, calça jeans surrada, suja, mais justa que Joaquim Barbosa, musculos bem torneados...

-Ow, dona Rose, a senhora me desculpe o atraso, viu. Tive um contratempo.
- .........
- .........
-  Han?? Atraso? Ahhh, magia, quer dizer, magina!!!  Hahhahaha. Que que é isso, não tem problema nenhum, que bobagem, hahaha. Entra, fique a vontade... aceita uma aguinha??

Gente, não é que a raiva passou ins-tan-ta-ne-a-men-te???!!!!!!!

Bronca? Atraso? Ai, deixei pra lá... Estressar pra que, né? Tão linda a vida, a natureza...

segunda-feira, julho 1

O sopro dos 40

Com a chegada de julho, me preparo para os 39.
Em hipótese alguma me sinto uma pessoa de pré 40. Nem no que já fiz, nem no que quero fazer, nem no físico e nem como meu físico se sente.

Tô pensando em fzer uma pequena lista de coisas para se fazer antes do 40.

O que acham????