sexta-feira, julho 5

Ego-depressão

Até respeito quem tem depressão. Sei que é doença, que é sério, que não é um simples mimimi, que não é trivial.


Mas não consigo deixar de pensar que no fundo é uma doença que acomete, na sua maioria, pessoas que tendem ao egoísmo, que acham que são o centro do mundo, que são egocêntricas, que não conseguem se colocar no lugar do outro, que não conseguem enxergar que os seus problemas não são maiores que os de outras pessoas, que não conseguem ser gratas pela vida e pelos privilégios que tem. Esse vazio existencial, essa tristeza, esse luto por nada acaba acometendo quem não tem um horizonte, quem acha que merece mais atenção do que tem, quem coloca sua própria vida na mão de outras pessoas, que cria expectativas relacionadas aos outros, que não precisa trabalhar duro, que nunca fez um trabalho voluntário na vida, que não consegue se sensibilizar com os problemas e com a desgraça alheia. Eu sei, é doença, a pessoa tem que se tratar, mas a vontade que eu tenho, tem dias, é dar umas bolachas bem dadas no meio da cara e mandar arrumar um trabalho.

Desculpem o desabafo, e perdoem aí a opinião leiga, meio destemperada, agressiva, mas é assim que eu realmente estou pensando agora. Acho o cúmulo alguém que tem tudo, que tem uma vida fácil, tranquila, estabilizada, vir atordoar a vida de outra que nunca teve as coisas tão facilmente, que tá ralando pra cacete, no meio de um dia de trabalho, assim... chorando por nada, achando que a vida é uma merda sem saber explicar porque é uma merda, e o que é pior - culpando a todo mundo que está em sua volta pela merda que nem ela mesma sabe dizer qual é.

Antes eu conseguia sentir pena. Agora não consigo mais.

23 comentários:

Anônimo disse...

Ah, Rose... não pensa assim, não. Talvez esses sejam os deprimidos que vc conhece, mas, de todo modo, é uma coisa tão triste... Falo por mim, que já tive, e que ao contrário do tipo descrito no seu post, nunca tive nada de mão beijada e tive que trabalhar muito, mesmo deprimida. Sabe o quanto é difícil levantar da cama, estando deprimida? Pois é... eu fazia isso todo dia, pra trabalhar.
Além disso, meu tio se matou, pra lá dos cinquenta anos, no auge de uma crise violentíssima de depressão. E ele era super, super humilde, morava num casebre (mesmo), e tudo que a vida dele não foi, foi fácil. Então, se vc mesma sabe que é doença, lembra que doença não escolhe o doente e acomete a todos. Talvez você só tenha o azar de ter deprimidos mimados ao redor de si... OU eles te pareçam apenas mimados pq vc não vive a vida deles pra saber como é.
Desculpe a franqueza.

Lili Cheveux de Feu disse...

Acho que é uma baita bola fora esse pensamento, irmã morena.

Anônimo disse...

Comentário realmente muito infeliz, de quem não tem realmente a MENOR noção do que é essa DOENÇA, que atinge sem discriminar pobres e ricos. É só se dirigir até um ambulatório psiquiátrico de qualquer Hospital público no Brasil, e se deparar com muita gente sofrida e pobre sofrendo desse mesmo mal. Tinha uma imagem muito diferente de você... fiquei muito desapontada, de verdade.

Jujuba disse...

Eu também não consigo entender quem tem depressão. Simplesmente não consigo imaginar, compreender, pois é uma coisa realmente estranha pra mim. Nunca soube o que é sentir tristeza, tristezinha, sem motivo importante. Quando tive problemas, conseguia afastar a tristeza, pois penso que assim seria mais fácil resolve-los. Por isso não falo nada sobre depressão. Deve ser horrível. Agora entendo o desabafo da Rose, pois eu não sei se teria paciência também. Se a pessoa está doente, vá se tratar o mais rápido possível.

Rose Foncée disse...

Eu concordo, viu gente. Estou me referindo a tipos muito específicos, que convivem comigo - é mais de uma pessoa, bom que se diga - e que, inclusive, recusam qualquer tratamento, não aceitam uma ajuda médica e não fazem nada pra mudar, pra enxergar. Eu aceito, endendo e reconheço a doença - repito, sei que é séria - mas o egocentrismo, a incapacidade de ouvir, de se colocar no lugar do outro, a invasão à privacidade e à paz do outro são duras de aguentar. São pessoas que exigem, exigem, exigem, a qualquer hora, a qualquer dia, por qualquer coisa e nunca, nunca, nunca, estão dispostas a ouvir nada, a dar um conforto, compreensão nada. Posso ter misturado os conceitos, pode ser que isso não seja depressão. Mas é isso, é essa gente, que me aflije.

Jujuba disse...

Cara, tem gente que vive pra sugar a energia alheia. Quanto te liga, já sabe que vai te pedir favores, dinheiro, cartão de crédito ou reclamar da vida. Energia negativa. A gente tá bem, depois de ficar perto dessas pessoas fica esgotado. Cruzes. Deus me livre dar trabalho aos outros. Só de pensar que, ao ligar pra uma pessoa, esta fique chateada me dá aflição. Por isso resolvo todas as minhas coisas, não peço favor a quase ninguém. Nem vender rifa ou bingo eu gosto pois sei que é chato. Então penso que tenho o direito de não ser aporrinhada. Foge dessa gente, Rose.

Rose Foncée disse...

É bem isso, Jujuba, bem isso. É uma pena, porque são pessoas que eu gosto, é gente próxima... mas a verdade é essa mesmo - não posso mentir pra mim mesma. Toca o telefone, eu vejo quem é e já sei que não vai ser uma palavra de apoio, não vai ser uma boa notícia, não vai ser uma coisa leve. É reclamação, cobrança... fico esgotada mesmo.

Joceli disse...

bem, talvez essa pessoa especifica, a que se refere a moça do desabafo,nao tenha depressão. Talvez ela tenha alguma angústia ou problemas emocionais menos graves e fáceis de serem resolvidos, e no entanto, chama a isso de depressão, talvez até por desconhecimento do assunto.
eu tenho depressão, e no pacote dela, ganhei junto fibromialgia, SII, síndrome do panico,transtorno de ansiedade.sofro horrores por ter uma mente inquieta e negativa que bagunça meu organismo físico, mas sofro calada,porque a maior parte das pessoas, do meu convivio estreito, pensam assim,como o desabafo da autora.no máximo, sofro na terapia semanal, á qual me prendo há anos e mesmo assim, cuidei da minha familia, trabalho, estudo.mesmo quando minha imensa vontade é ficar no sofá, de costas pra vida, enrolada na manta (coisa que, aliás, já fiz muito).sei que existe muita gente que se diz depressiva por uma necessidade carente de afeto e atenção, e mesmo assim, tbm considero essas pessoas doentes, de outro modo. enfim, esse assunto nao cabe na caixinha de comentários, eu teria uma bula papal a discorrer sobre depressão, o que sinto, o que ouço sobre, os descasos, a humilhação, a impotencia pessoal...só é imaturo jogar no mesmo saco doenças e pessoas diferentes.rs

joceli disse...

agora, se pensarmos bem mesmo, esses pensamentos de que devemos fugir de pessoas "de energia negativa" (aspas pq isso me soa tão alienígena e pessoal) nao estariam nos levando à uma sociedade onde apenas a alegria superficial, fugaz e passageira seria a desejável? em 20 anos, poderemos escolher no cardapio das relações sociais apenas os sorridentes, divertidos, alegres? faremos um lazareto, como nos tempos antigos, para isolarmos os de mal humor, os resmungos, os depressivos, os chatos?rs
(postagem de brincadeira, com um tom serissimo..rs)

Amanda M. disse...

Joceli,você abriu e muito para uma perspectiva que eu ainda não tinha me dado conta! Valeu! Sua postagem "de brincadeira em tom seríssimo", me fez pensar... ;)

Jujuba disse...

Joceli, todos nós temos nossos maus momentos e é bom termos a quem recorrer. Mas também temos bons momentos, damos apoio. O problema são pessoas que NUNCA NUNCA tem um sorriso, uma notícia boa. Essas pessoas não trocam energia, SOMENTE SUGAM. Você precisa delas e elas nem te escutam, já começam a desfiar seus problemas, que são mais importantes que o de todo mundo. Eu fujo desse tipo de gente e nem tenho remorso. Na verdade acho que nem são os que sofrem de depressão, mas os verdadeiros egoistas que não enxergam nada.

Rose Foncée disse...

Jujuba, a impressão que eu tenho é que eu e você conhecemos a mesma pessoa! hehehe

Joceli, você tem razão - acho que eu mencionei depressão, porque essa é a primeira coisa que eu escuto de todo mundo que quer fugir dos problemas, que não tem coragem pra enfrentar, enfim. O meu ponto é que a depressão existe sim, mas não é uma coisa tão comum assim, acho que está todo mundo banalizando demais. É que nem transtorno bibolar, defcit de atenção - doenças sérias, que afetam muitas pessoas e que estão sendo banalizadas, usadas como desculpa pra uma série de coisas. Com relação a fugir de pessoas de energia negativa, me desculpe - isso não tem nada a ver com não ter relacionamentos bons e profundos. Nem um relacionamento é feito só de momentos bons, alegrias passageiras, fugazes. Mas essas pessoas de energia negativa são, na verdade, egoístas. Egoístas porque são incapazes de se colocar no lugar do outro, porque são incapazes de ser gratas, porque são incapazes de ouvir. E se isso é uma forma de doença, então não sou eu, nem ninguém não-especializado quem pode ajuda-las. Na verdade, acho até maléfico perseverar um relacionamento desse tipo, porque isso implica em uma compreensão, em uma atitude de superioridade emocional que, em tese, não deveria existir em uma relação entre iguais. Todos nós temos nossos maus momentos, todos nós precisamos desabafar, mas quem faz isso, tem que saber que o outro também precisa. E nessa hora, tem que estar tão pronto como o outro. Se não é vampirismo mesmo. É relação cruel. É aproveitar-se de quem se importa e cuida da gente. Mais ou menos isso. Beijos.

Julia M. disse...

Eu posso falar sobre, porque tenho depressão e síndrome do pânico
há 3 longos e difíceis anos. E não é porque eu acho ou está 'na moda'. Fui diagnosticada, faço tratamento e tal.
Eu me senti tão exposta com o seu relato que pensei muito
antes de escrever alguma coisa, porque nem sei por onde começar.
Você conhece uma pessoa egoísta. Ponto. Antes de ser doente,
problemática, depressiva... ela é egoísta. Acho importante
esclarecer isso.
Eu sou dessas pessoas que recusaram aceitar o tratamento.
Fui procurar ajuda agora, na metade de 2013. Porque eu me sentia
mal pela minha dor. Pela minha tristeza. Por ter uma vida
confortável e me sentir vazia, um nada.
Eu não desabafei com ninguém, procurei duas pessoas em 2 ocasiões
diferentes... e escutei que elas tiveram vidas difíceis,
que passaram fome na infância, que viram o pai agredir irmãos
e mãe. Você consegue imaginar o que é dar um grito fraco de
socorro, sinalizar timidamente um pedido de ajuda e ouvir isso?
Eu me senti a última pessoa da face da Terra. Por nunca ter
passado por essas coisas e não conseguir ser feliz.
Eu recusei tratamento por visões como essa. De que minha dor
não era aquela... a maiúscula, dor de verdade. A de quem teve
que lutar com unhas e dentes pra ganhar a vida.
Você não pode imaginar a minha vergonha por ter perdido o meu
emprego, meus amigos de trabalho e faculdade, meus sonhos e
eu mesma por conta da doença. É tão difícil e doloroso admitir
que perdeu o controle da própria vida a ponto de não conseguir
distinguir emoções e o que você se tornou.
Desculpa ser invasiva, mas você conhece uma pessoa egoísta.
Queria muito te esclarecer sobre isso.
Muitos dos meus amigos me consideram a pessoa mais feliz e
engraçada do mundo. É com essa armadura em forma de gracejos
e sorrisos que eu enfrento o mundo e vou pra minha guerra todo
santo dia. Me aconselham a voltar pra faculdade e cursar
psicologia, porque eu não sei o que fazer com minha própria vida,
mas sempre tenho ombro e conselhos para os amigos que me restaram.
Há tudo no fundo do poço Rose, menos apatia.
Quem está nele por uma depressão, sei que é difícil acreditar, é
antes de tudo, um bravo lutador. Vagando aos trancos e barrancos
lutando pra manter o que resta de sanidade e força. Sou grata
todos os dias por não deixar o pensamento de suicídio se tornar um
caminho, por conseguir executar a tarefa hercúlea de levantar
da minha cama e trôpega, me arrastar pela vida. De bradar meus
braços para o nada e dizer que sim, dias melhores virão. E que
eu não vou sucumbir a isso.
Sou grata pela vida que tenho, porque eu era professora e conheci
de perto a extrema pobreza. Vi e me apeguei a crianças que
deixaram de ser indefesas e infantis, porque tinham que sobreviver
a margem da sociedade. Enfrentar os olhares de reprovação da socidade
a elas, por serem pobres, de periferia, do gueto. Os comentários
medíocres e sujos em uma sala de professores, sobre como fulano
logo seria preso ou morte. Um fulano de 10 anos.

Enfim, ela é egoísta. E é horrível conviver com alguém assim.
Só gostaria de te esclarecer sobre isso. Que depressão, está
longe de acometer APENAS pessoas assim.
Fico feliz com a sua sinceridade. Porque de certa forma, sinto que sua visão sobre isso mudou. E é extremamente positivo essa mudança. Mesmo que pouca.
Porque eu penso que se uma pessoa depressiva e que não é uma sanguessuga como essa sua amiga, aparecer na sua vida, você estará mais aberta a tentar compreender. E quem sabe, você não consiga ajudar esse alguém a encontrar forças pra superar a desmotivação e tristeza, na busca da ajuda especializada.
No mais, desculpa o longo desabafo. Assim como você, senti que ele deveria ser feito.
Bjo.

Joceli disse...

Rose, isso que vc definiu sobre A Pessoa (pra definir sobre quem falamos, já que nao conheço,rs) é a definição sim, de um egocentrico, alguem cuja empatia humana lhe foge à capacidade de exercitar. Por outro lado, se há em voce, a Pessoa Com Empatia, capacidade de exercitar a mesma, tente buscar nela as razões mais submersas, as mais fundas, além do conforto,da vida boa, da falta de razões aparentes que seu olhar detecta por ela.Minha mãe, é assim. Se vc reclamar de dor no ciático, logo ela terá uma dor maior. Se a reclamação for falta de dinheiro, a dela será maior. Percebi isso cedo, e assim,a ouço com paciencia , a paciencia que um dia, espero que minha filha tenha comigo.Posso encontrar dezenas de razões para que minha mae aja dessa forma egoista, imatura , ególatra e assim, relevar com o carinho que é maior que tudo.É cansativo? Muito. É aborrecido? ôô. Mas quantas vezes não fomos ou somos assim,tbm?Exigir empatia de quem não se entende, é desejar que Mark Rufallo me leve pra jantar hoje: fantasia inútil.Quase todas nossas relações são permeadas por confrontos egoístas assim, apenas conseguimos quebrar alguns confrontos de forma mais automática e simples.Outros,não. Assim como a Julia acima, tbm sou professora e concordo: hoje qq um diagnostica algo, e a propria industria quimica incentiva isso, pq é lucrativamente interessante. Cansei de ver com pena e raiva, professores sem condição especifica diagnosticando transtornos em alunos e cujos pais aceitam medicar, sem ouvirem outras opiniões,seus filhos. Já tive alunos que pareciam mini robos entupidos de ritalina, pq simplesmente, eles não se enquadram no perfil "normal" da maior parte dos alunos. A sensação que tenho é de que há um molde de gesso rosa purpurina engessando todas as pessoas num só tipo de comportamento.No entanto, para nosso conforto e bem estar, desejamos engessar os outros, mas recusamos que nos engessem. Afinal, eu sou melhor que os outros.(ironia, pero no mucho).Aquilo que é diferente machuca meu bem estar , mas o que há de diferente em mim,que possa machucar o bem estar do Outro, eu me nego a aceitar. Olha, viver é para os fortes.rs

Joceli disse...

Jujuba, talvez voce entenda trocar energia como uma troca de coisa boa, alegre, suave. Existem pessoas que só conseguem ver o pesado,o ruim e o feio e talvez essa seja a única forma de trocar energia.Podemos nos afastar de um amigo que seja assim. Mas não de uma mãe, irmã, companheiro, filho, né?Talvez essas pessoas não escutam o outro porque não sabem, não entendem sequer, que possam ser úteis ou necessárias. eu considero isso apenas como imaturidade e não como alguem ruim,de energia ruim. Energia ruim,pra mim, é um deputado se lastimar porque ganha só $15.000,00, um psicopata matar uma criança, um pai estuprar seu bebê, uma mãe crackeira esquecer dos seus filhos. O resto... bom, são as chatices da vida,que são pequenas,ne?Aliás,meu ex marido me dizia, irritado, que um bom tanque de roupa suja curava minha depressão, que a seus olhos, era tão sem razão qto um cego ganhar um jogo de espelhos laqueados. pessoas,pessoas...eu acho tão divertido e gracioso fazer parte dessa fauna, apesar de tudo.

joceli disse...

Valeu,Amanda...O bom de envelhecer é sentir mais empatia pelo House do que pela Miranda.Sempre me pergunto, pelo menos 39898234 vezes: Eu sou como eu me vejo? Eu sou como eu penso ser?
às vezes, a honestidade, essa coisinha pandêga, dá lugar à patetice e me vejo chic, glamourosa, vestida de Channel, no lugar do jeans, hering e all star usuais.
(chega,parei. já enchi o saco de vcs por hj)

lili cheveux de feu disse...

Como vocês são foda, gente. Ah, eu amo vocês, sério.

Julia, eu li seu texto como se esse tivesse sido escrito por mim. É bom ver que há dores semelhantes às nossas. A gente se sente mais real e aconchegada.

Beijos para todas!

Adelaide disse...

Já tive depressão uma vez, pontual, mas eu tive. Entedno muito esse seu comentário, pela banalização da doença.
Tudo virou depressão, tudo virou tristeza. Tudo virou inércia.
Depressão de verdade é aquela que vc se reconhece como em depressão e vai lá e procura uma maniera de melhorar porque encara como doença.

Mesmo na depressão você consegue ser responsável pela virada. De verdade

Jujuba disse...

Pelo que eu percebi nos comentários, muito bacanas, as pessoas com depressão, apesar da doença, buscam levar a vida, trabalhar, ajudar a família, evitam sobrecarregar os outros e, uma hora ou outra, procuram tratamento.
Realmente acho não conheço ninguém com depressão. Ou a pessoa esconde direitinho. Conheço mesmo os egoistas. Todo mundo é egoista até certo ponto, mas a gente vai se controlando, tentando se controlar. Se fujo de certos egoistas é por que, depois de anos e anos e anos de abuso, desisti de conviver com eles.

Julia M. disse...

Oh, Lili!!
'É bom ver que há dores semelhantes às nossas. A gente se sente mais real e aconchegada.'
Absolutamente. <3
Acho que foi isso que me salvou de pouquinho em pouquinho. Até chegar ao ponto que estou hoje. Sem crises de pânico há um mês e alguns dias (\o/) e com a depressão abrandando. Ainda falta uma longa caminhada. Mas na minha experiência, essa empatia foi redentora. Mesmo o meu comentário não ter sido sobre coisas boas e felizes, que bom que você se sentiu dessa forma.
Bjo.

Jujuba disse...

Olhem, meninas, eu dou uma dica: façam DANÇA DO VENTRE. Façam! Quando a gente se vê montada naquelas roupas lindas, maquiada, vibrando os quadris, nem sei, a gente SE SENTE! A música árabe mexe com alguma coisa dentro da nossa barriga! Não precisa ser magrinha, novinha, nem dançar horrores. Na fotinha aí eu estou com a minha espada, que é idêntica a da Jade, e me sinto tão poderosa, confiante, nem sei explicar. E a gente se acaba nos brilhos, makes, apliques de cabelo, bijus e tudo mais. A mulherada se junta e é uma beleza. Já fui até dançar em São Paulo! Ó, recomendo muito.

Rose Foncée disse...

Jujuba, você é ótima!!!

Anônimo disse...

Em parte eu te entendo. Essa postagem tem tempo, mas encontrei enquanto digitava a frase: "A depressão e uma doença do ego."Por que tenho pessoas próximas da qual conheço todas as dores e dificuldades, ainda assim me abismado a total falta de incapacidade que a doença da de se colocar na dor do outro. Nada lhe falta, mas nada e bom ou suficiente. Fere, machuca como se fosse para provocar no outro a dor que sente. Afasta a todos e acredita que ninguém se importa, enquanto isso os que estão a volta sofrem sem que ela se dê conta do estrago que faz. Por isso vejo como uma doença do ego. Eu! Eu sofro, eu sinto, eu amo, eu me ferro, eu faço. Mas é o outro? Não sofre, não luta, não faz? É difícil meu povo. Muito triste e difícil! E tem o pior. Se a família não aguenta e se afasta, os que estão de fora nos julgam como pessoas horríveis. "Olha lá, abandonaram acoitada" Mal sabem eles que quem convive tem as vezes até medo de dormir, por causa de uma violência física, ou pelo estrago que é feito diante de uma vizinhança inteira, com xingamentos e escândalos. Sim. Pq tem esse tipo de deprimido também.E como ele se vê o problema é o defeito no outro, não se trará devidamente. E aí? A família fica como? Vivendo até a morte sob ameaça? Pra não ser julgada? Não dá!