sexta-feira, dezembro 28

Adelaide, quanto tempo!!!

Também ando muito relapsa aqui. Mas, vendo que Adê se emendou, resolvi também tomar vergonha na cara... a verdade é que nessa época de natal, festas, dezembros, etc, acho até melhor ficar quietinha no meu canto, porque fico tão mal humorada! Tudo que penso, falo, escrevo acaba saindo amargo demais, um azedume só.

Mas agora o natal passou, foi ótimo, fui pro interior, conheci a família de Cheri, aprendi o sotaque do norte-de-Minas-divisa-com-a-Bahia, descansei horrores, ri demais, comi queijo e biscoitos que nem uma louca, e estou prontinha pra encarar 2013!

Um tiquinho mais tarde eu volto pra contar como foi em detalhes e pra bater papo, gente!! Vou lá desfazer as malas e já volto!

quinta-feira, dezembro 27

Ok, você venceu Lili.

Desculpa aeeeee gente.
Realmente eu sou uma relapsa e acabei perdendo um pouco o hábito de escrever por aqui.
Mas tentarei  recuperar isso. Com a ajuda de vocês, se me deixarem, ok?

Não escrevi sobre a Turquia, não escrevi mais sobre TV ou cinema, não escrevi mais sobre a vida que passa lá fora.

Mudei de chefe, Graças a Deus. Passei uma Natal Maravilhoso, Graças a Deus. Vi Political Animals, Graças a Deus. Bebi uma Veuve Clicquout inteirinha e sozinha, Graças a Deus. Brinquei um pouco com o Theodoro, Graças a Deus e vi o vídeo da Inês. GRAÇAS A DEUS.

Aos pouquinhos voltarei a dar a vocês a devida atenção e o carinho que vocês merecem!

Beijos da Gorda




quarta-feira, dezembro 26

Partindo para o meu programa de índio de Reveillon. Oremos. 

E que 2013 seja melhor que [esta porcaria de] 2012, para todos nós!!! Mil beijos para vocês! 

domingo, dezembro 23

Pequeno Cidadão.

Música feita por adultos e crianças para adultos e crianças. Imperdível.
http://pequenocidadao.com

Emocionante...

"Fadjen é um touro espanhol que estava destinado a morrer durante uma tourada, por ser considerado bravo. Mas por cruzar o caminho de Christophe Thomas, Fadjen teve um destino diferente. 
Ele foi adotado por esse jovem fazendeiro que lhe proporcionou uma vida digna em um espaço adequado para as suas necessidades, dando-lhe amor, carinho e criando um elo de tirar lágrima dos olhos. 
Agora, Fadjen se tornou um poderoso símbolo da não-violência. Sua história é a bandeira da luta contra as touradas."

O vídeo é apenas LINDO. Podem assistir. Ele mostra um bicho sensível, alegre, carinhoso e inteligente interagindo com um ser humano... São dessas coisas que eu me lembro quando digo "não" a um bife.

 

sábado, dezembro 22

sexta-feira, dezembro 21

E chegou meu self-gift de Natal.

Eis a minha introdução no mundo do ciclismo. Tito Urban 700. Muita dor de cabeça com as Americanas.com (que não cumpria a promoção anunciada no site), depois mais dor de cabeça com a própria Tito (que não fabrica mais o selim preto e laranja - agora é todo preto - mas isso você tem que deduzir por si só, já que todas as fotos de todos os anúncios do produto continuam a mostrar o modelo colorido), até que chegou num ponto em que eu decidi mandar tudo à merda e ser feliz com a minha laranja mecânica. 

Música para o fim do mundo.



"To have it all and still want more 
One things for sure we're all getting older 
So we take a lover waiting in the corner
Before you know it, pushing up the daisies 

And we go back to where we came from 
Like those before and those to come 
And know its the ever and the more 
And again and again and again"

quinta-feira, dezembro 20

Gary Oldman


Na minha humilde opinião, um dos homens mais sexy que já habitou este planeta. 

terça-feira, dezembro 18

Faltava isso, antes do mundo acabar.

"A Bispa Sônia Hernandez, fundadora da igreja evangélica Renascer em Cristo, lançou na última semana o kit de cosméticos Divina Essence, composto por sabonete e perfume que, segunda sua filha, Bispa Fernanda, exalam o cheiro de Jesus."

Daqui.

segunda-feira, dezembro 17

Sorria - Neste exato momento alguma rede social está dando detalhes da tua vida...

08h43

- Bom dia, Gerson!
- Bom dia, dona Rose. Ah, dona Rose, eu estou vendo que a senhora está um pouco apressada, mas preciso falar uma coisa com a senhora...
- Pois não, Gerson...
- Então, na sexta feira à tarde esteve aqui um homem procurando a senhora. Disse que era sobre umas fotografias, alguma coisa relacionada à uma formatura...
- Formatura, Gerson? Deve ser algum engano, não estive em nenhuma formatura recentemente.
- Então, dona Rose... eu perguntei se ele queria deixar um cartão, um telefone, mas ele disse que não... mas falou o nome completo da senhora, sabia o apartamento, tudo direitinho. Eu estranhei porque ele não me deixou olhar as fotografias, não mencionou o nome do Sr. Cheri e não quis deixar nenhum contato.
- Gerson, muito obrigado, viu. Realmente não sei do que se trata. Se ele vier novamente e eu estiver em casa você me chama. Se não estiver, pode despachar...
- Pode deixar, dona Rose! Um bom dia pra senhora.

( E lá fui eu para o trabalho, preocupadíssima, imaginando o que poderia ser, se era alguém tentando algum golpe - e um golpe sério, né, afinal, o indivíduo foi no meu prédio, sabia o nome completo, número do apartamento e tudo o mais. Fico terrivelmente incomodada com esses incidentes...)

16h02
- Alô, é dona Rose?
- Sim, sou eu, quem fala?
- É Rodrigo quem fala, dona Rose. Sou da empresa 'Fazemosqualquernegócio", que organizou a formatura da senhora, lembra?
- Rodrigo, meu querido, eu me formei em 1999! Foi há 14 anos atrás!
- Justamente, dona Rose, eu estou aqui com as fotografias da formatura para ver se a senhora não quer adquirir...
- Fotografias da minha formatura de 1999, Rodrigo? Que loucura!
- Então... estou aqui na cidade, com fotos de várias pessoas que se formaram àquela época... o preço é de ocasião, para a senhora ter ideia, o álbum está sendo vendido pelo mesmo preço da época, sem cobrança de juros, nada disso.
- Mas nem poderia, né Rodrigo. Cobrar juros por algo que eu não pedi, não encomendei, nem demonstrei interesse, era só o que me faltava... me diz uma coisa - você esteve no meu prédio na sexta feira, não foi? Como você conseguiu meu endereço completo e telefone atual?
- Ah, a senhora sabe, né... hoje em dia é fácil! Pelas redes sociais, a gente vai vendo tudo, pega uma informação aqui, outra ali, e aí consegue com facilidade, não é ótimo! Graças ao facebook a senhora tem a oportunidade de resgatar as fotos desse dia tão importante pra senhora!
- Hahahahahahaha. A oportunidade é minha, Rodrigo, essa é ótima! Deixa eu te falar, em princípio eu não estou interessada não... há 15 anos atrás eu era magra, linda e sem rugas - acho que vou entrar em depressão profunda quando ver as fotos da época... além do mais estou ocupadíssima, não tenho tempo nem pra te receber e olhar essas fotos sem compromisso essa semana...
- Bom, a senhora quer pensar? Em janeiro eu vou estar de volta à cidade e posso entrar em contato novamente...
- Sejamos francos, Rodrigo... qualquer que seja a resposta você vai me ligar de novo em janeiro, não vai?
- .....
- Liga, Rodrigo, pode ligar... mas olha, já te adianto que realmente não estou interessada viu. Boa tarde pra você.
- Boa tarde, dona Rose.

(Quatorze anos, minha gente! E pelo Facebook!!! E eles estão tentando me empurrar meu álbum de formatura, o qual eu nunca tive interesse em adquirir - pra ser franca, só participei da festa por consideração a meus pais, que faziam questão... Não é incrível uma coisa dessas??? Não sei se fico pasma ou preocupadíssima com o grau de invasão que estamos sofrendo em nossas vidas... )

domingo, dezembro 16

Ainda pedindo perdão ao Dave...

sábado, dezembro 15

Venho me retratar publicamente.

Busquei no histórico do FDD e não encontrei nenhum post com foto do Dave Matthews no marcador "musos". Um pecado, já que há anos eu morro de amores por esse ser.


Aceito como presente de Natal.
Me divirto à beça com essas votações... dasBancas.

sexta-feira, dezembro 14

=)

Que delícia, que delícia! Especialmente a última frase: "Já a companhia neoclássica eslovena Maribor Ballet trará o espetáculo “Radio and Juliet”, uma homenagem à banda inglesa de rock Radiohead.".

Aqui!

Já dá para vencer o concurso "Garota da Laje 2013"


quinta-feira, dezembro 13

"Bela como uma Vênus. A imagem clássica da deusa: poder e sedução se fundindo, mistério e promessas torturando o corpo e a alma dos pobres mortais. E um escravo, ousado e imprudente, que não teme dar a vida em troca do êxtase de se embriagar no néctar dos lábios da divindade."

Lado a Lado, cada dia com menos piedade de nós. Benza Deus.

Lips da Lili - Consumismo.

Para quem gosta de branco no Reveillon: C&A. Vestidos dignos, na faixa de 80 contos. Na dúvida se o mundo acaba ou não, garanta o seu. Eu já me garanti.

Arranquei um pedaço do meu lábio ao puxar o ticket de estacionamento do shopping que eu segurava na boca. Profissional em fazer merda: here I am.

[Ironia falar sobre isso no "Lips da Lili". Tsc tsc.]

Fazer compras nas www.americanas.com é sempre um exercício de paciência. O site é uma porcaria. Estou há dias tentando comprar um produto, nada barato por sinal, e não consigo. Já liguei no SAC, já mandei e-mail e nada. Próximo passo: PROCON.

UPDATE: Aí eu tente entrar no Chat do Atendimento On-line das Americanas e "Nosso canal de chat ficará em manutenção por tempo indeterminado. No entanto, poderá nos contatar pelo canal de telefone, e-mail ou ainda tirar suas dúvidas pela Central de Atendimento."
Pra mim deu. Me esperem nos tribunais.

quarta-feira, dezembro 12

Frustração.

Acho que só vi DOIS filmes dessa lista. Pensam que é bolinho viver na roça?
De qualquer forma, que vídeo lindo! Arte. Como viver sem?

 

terça-feira, dezembro 11

Deep Blue

"Here, in my place and time 
And here in my own skin 
I can finally begin
Let the century pass me by
Standing under the night sky 
Tomorrow means nothing"

Ouçam Arcade Fire.
Só digo isso por que gosto muito de vocês.

Da série: As melhores frases lá de casa.

14h.

Prima de 7 anos: Pô! Passam dois jornais de manhã! Já passou um que falou tudo o que tá falando nesse aí...
Eu: Mas agora não é mais de manhã. Agora já é à tarde.

Prima de 7 anos: Tá! Mas ainda nem passou Sessão da Tarde, nem novela...

segunda-feira, dezembro 10

Da série: As melhores frases lá de casa.

Eu: Então, estou vendo aqui na internet que a Terra gira a cerca de 1700 km/h em torno de si mesma.
Seo Vovô: Nossa, mas será que não gasta esse rolamento? Hahahaha.

domingo, dezembro 9

Still in love com essa voz...

Melhor passeio do dia:




sábado, dezembro 8

Gelo liso
É paraíso
Para quem sabe dançar.

[Nietzsche]

quinta-feira, dezembro 6

Curtas.

Não conheço a pessoa. É a primeira vez na vida que ela me escreve. Começa com um "Oi, querida" e termina com "Deus abençoe". Só pode ser ironia.

Vinte minutos depois vem outra - que eu também não sei quem é - e me escreve: "Palhaça! Te esperei hoje.".

Bitchêsss please! Localizem-se. Grata.

Da série: Entenda como puder.

Eu entendo - e essas caras felizes só me confirmam - que eles treparam e engravidaram na maca do hospital. Dessa vez de um bebê real, por que o "outro", era fake.

Porrada Nelas!


A audiência está baixa? A novela não decola? É simples - vamos encher alguém de porrada que tudo se resolve! Eu já tinha reparado que de uns tempos pra cá o grande momento, superesperado de absolutamente todas as novelas das 9 é a cena da surra - a vilã, sempre uma mulher (com uma única exceção que eu me lembre) tem que apanhar da mocinha. O público quer tabefe, tapa na cara, puxão de cabelo, dente quebrado, sangue, pancadaria mesmo. Elegância? Sutileza? Qualquer coisa menos explícita? Naahhhh.... não funciona. Tem que arrebentar a víbora mesmo, jogar no chão, com direito a todos os "Vagabunda!!" a que temos direito para lavar a alma.

Salve Jorge precisou apelar - a novela anda tão mal de audiência que a surra, que normalmente acontece mais pro fim da trama dessa vez teve que acontecer mais no comecinho pra ver se o caldo não desanda de vez. E não é que funcionou? Parece que a novela teve sua melhor audiência desde a estréia!!

Resumindo - o que o povo gosta mesmo é de ver mulher apanhando e de ouvir alguma heroína soltando, em altos brados aquele grito que, por medo da polícia, todos tem que prender na garganta, todos os dias: - "Piranha!" "Ordinária!"

 

terça-feira, dezembro 4

Eu sempre reclamo da [falta de] beleza dos nossos jogadores de futebol...


... mas, justiça seja feita: o goleiro Diego Cavalieri. 

segunda-feira, dezembro 3

Deu pra chover SPAM nos comentários agora... Alguém com o mesmo problema com o Blogger?

Uniforme

E de uma hora pra outra, eis que esse símbolo aí invade o guarda-roupa de praticamente todo mundo!! Assim, do nada, né. Acho tão engraçado isso... uma marca que sempre existiu, que sempre esteve por aí, que ninguém dava bola, de repente, sem marketing agressivo nem nada,  vira a queridinha da vez, e começa a sair todo mundo meio parecido, com o estilinho da dita cuja...

Aqui no trabalho tá parecendo uniforme. Moças e rapazes (mas principalmente moças), com o simbolozinho bordadinho aí no peito.

A flor-de-lis é o novo jacaré, gente? Ou isso é só um fenômeno local?

A menina do elevador...

... esteve no show da Lady Gaga. Essa é a única e verdadeira Little Monster.


domingo, dezembro 2

Thanks God!

Se não tá fácil pra gente, imagine para esse austríaco que escapa de um acidente, vai à igreja agradecer e morre esmagado pelo altar...

Banda vício do dia.

[por que tem tanta coisa para ouvir neste mundo que eu estou dedicando um dia para cada uma delas e basta]

sábado, dezembro 1

Da série: As melhores frases lá de casa

Vejo a minha ecobag da Maria Bonita Extra pendurada no varal...

- Vó, você lavou essa minha sacola?
- Não. Usei para ir na feira. Molhou um pouquinho e coloquei no varal pra secar.
- Essa bolsa é chique, viu!?
- Foi por isso mesmo que eu peguei ela, uai. Acha que eu ia pra feira com bolsa feia?

sexta-feira, novembro 30

quinta-feira, novembro 29

Dias Cinzas

Ando triste. Tem horas na vida em que a gente percebe que algumas situações simplesmente não tem solução. Alguns relacionamentos não se consertam. E por melhores intenções que tenhamos, cada palavra dita, por mais pensada que seja, será mal interpretada - pior, será distorcida, vai ferir e um dia será devolvida com a carga de toda a amargura do mundo para nos ferir também. A gente olha e não consegue achar onde foi que a coisa desandou - há carinho, nada de particularmente grave aconteceu, nada de particularmente concreto. O monstro foi se formando a partir de coisas que acontecem em todos os grupos, eu acho, em todas as famílias - uma pequena ofensa, uma frase dita na hora errada, uma meia-verdade aqui, um silêncio inoportuno acolá... e aí os anos vão passando e quando a gente percebe as coisas chegaram ao ponto de não ter mesmo como serem resolvidas, a vida virou um emaranhado de equívocos, de mágoas, de agressões e de lacunas.

Deveria ser tranquilo isso - sim, há incompatibilidade, uma cordialidade pode ser mantida, tudo foi tentado, não temos como consertar tudo, não há como arrancar ressentimentos de ninguém à fórceps, não é minha culpa, genuinamente tudo o que fizemos foi com as melhores intenções. Só que não é assim - é difícil reconhecer a diferença entre aceitar uma situação sem solução e desistir dela. Por mais que racionalmente saibamos que não há mais nada a ser feito - ou que o que há a ser feito somente servirá para aprofundar ainda mais o fosso que já existe - a sensação de derrota, de estar desistindo, de jogar a toalha é terrível.

E eu sei que durante muitas e muitas madrugadas insones a pergunta irá ficar martelando na minha cabeça, o demônio interior irá esmagar o meu peito e a resposta não chegará nunca:

Como pudemos errar tanto assim, meudeus? Como chegamos a esse ponto? Será que eu fiz mesmo tudo o que eu deveria ter feito? 

Entrevista.

Uma saudade: Rádio Oi FM no meu dial. Tá foda viver. =(

Um sonho: Ser amiga pessoal da dupla Sandra e Evaristo.

Uma dor de estômago: pessoas que não têm noção do quanto agem de forma patética [incluindo eu mesma].

Uma ambição: não sentir essa dor insuportável no braço, mão e ombro direitos.

Uma piada: eu, com toda a minha "retardadice", tentando estudar Direito Empresarial.

terça-feira, novembro 27

Papai Noel...

Um dos meus sonhos de consumo sobre duas rodas do momento. Papai Noel, aceito. 

domingo, novembro 25

sexta-feira, novembro 23

Black Friday

Ai, gente, se eu der minha opinião verdadeira sobre essa Black Friday, será que serei muito azeda? Vai ficar parecendo um "reclame aqui"?

Porque vamos combinar que desde o último "Restaurant Week" que eu não via uma enganação tão grande, viu...

❤ LFV ❤

"Assim como o casal, Zuenir [Ventura] e [Chico] Caruso também ficaram doentes no decorrer da semana. Zuenir passou alguns dias acamado, já Caruso revelou ter passado a semana com sensação febril e sintomas de gripe."

Gente, que porra é essa? Atentado?
Todo mundo botando suas crenças para trabalhar em prol da melhora do Veríssimo e dos demais.
Dica do dia: Aproveite o combo Black Friday + Fim do Mundo (com maiúsculas, pois é importante) para gastar horrores com prestações a perder de vista.

quarta-feira, novembro 21

Emmy

Eu acho que a Débora Falabella deveria ganhar um Emmy ou qualquer outro prêmio pela coragem de abandonar aqueles cabelos e figurinos maravilhosos que ela usava em "A Mulher Invisível" pelo horror para a auto-estima que foi a Nina.
Mas é claro que se contabilizarmos o fato de ter se livrado da Luana Piovani para abusar do corpo do Cauã, acho que fica tudo empatado.

Exausta!

Gente, se esse mês não terminar logo vou acabar estafada, falida ou em coma alcoólico... como tem escorpiano nesse mundo, não? Uma boa parte de meus amigos/parentes faz aniversário nesse bimestre outubro/novembro. Efeitos do carnaval, reza a lenda, e acho que faz todo o sentido...

O fato é que não consigo parar um dia em casa, é jantarzinho de um, happy hour de outra, presentinho pra comprar, almocinho com outra colega... devo estar uns três quilos mais gorda e não tenho conseguido competar 24 horas sem ingerir pelo menos um copo de vinho ou um chopp...

Preciso de uma pausa, urgente! Antes que comecem os amigos ocultos, confraternizações, panetones, ceias e etc, etc, etc... oh, céus!, oh, vida!

50 Tons de Irritação

Tenho que confessarque não li 50 tons de cinza. Não conseguiria. Li alguns trechos, uma sinopse, algumas críticas de pessoas sérias, opiniões de amigas que leram e, de verdade, fazia tempo que um "fenômeno" midiático não me assombrava tanto.

É sério que depois de décadas de evolução, de lutas por direitos e de mudanças de paradigmas, um livro como esse consegue causar esse "frisson" todo entre as mulheres e virar campeão de vendas pelo mundo afora?? Me dá uma tristeza - será que no fundo, realmente ainda somos assim?

Disfarçadas de moderninhas, liberadas sexualmente, continuamos sendo as velhas Cinderelas de sempre, apaixonadinhas por homens poderosos, ricaços e dominadores, é isso? O padrão ainda é o mesmo da mamãe e da vovó, apenas acrescido do fato que agora também queremos uma certa "pegada"?? 

Ok, não seria pra levar as coisas tão a sério, fantasia sexual é fantasia sexual, cada um tem a sua, e a escritora tem o direito de sonhar com o tipo de homem que quiser, e de escrever e publicar o que quiser... o que entristece é o entusiasmo de milhões de mulheres do mundo todo diante de tanto chauvinismo. O fetiche ideal então é um milionario desequilibrado que dá jóias de presente e oferece um mundo de luxo em troca de submissão sexual? Really?????????????????? Se Mr. Sádico fosse um assalariado, um homem qualquer, um pobretão, ou mesmo um trabalhador normal de classe média, será que ficaríamos tão empolgadinhas assim?

Fico deprimida, gente, é sério. Deprimida e com vontade de reler mil vezes a obra completa de Nelson Rodrigues. Ou qualquer coisa de Doris Lessing, Marguerite Duras, sei lá...

E aí, gente, alguém leu inteiro? Alguém gostou? Concordam comigo? Estou muito equivocada? O que vocês acham, heim?

É um jogo. É um vício. Sem regras. Sem vencedores. Quem vive sem?

segunda-feira, novembro 19

Um pouco de beleza gratuita.


vício
ví.cio sm (lat vitiu) 2 Defeito que torna uma coisa ou um ato impróprios, inoperantes ou inaptos para o fim a que se destinam, ou para o efeito que devem produzir.

O melhor 007


Já é clichê, mas Daniel Craig pe difinitivamente o melhor 007. Ele é feio de doer, mas exala testosterona. Compensa tudim, tudim.

E o filme? Ah, o filme é bacana demais. Mas quem tá aí pro filme?

Sobre a faxineira

Fiz a denúncia no sindicato das faxineiras. Passei os dados e eles disseram que irão encaminhar o caso. Quem sabe.

domingo, novembro 18

Vamos animar!

sexta-feira, novembro 16

Assombroso...

Gente, não parece inacreditável que esse horror aqui...

 e esse espetáculo aqui...
sejam o mesmo homem com apenas algumas semanas de diferença???

(eu estava entristecidíssima com a embarangação de Marcos Palmeira, mas eis que quando menos se espera o gostosão renasce das cinzas... aleluia, minha gente!!!!)

Votem! Votem! Votem!

Estou em cólicas de tanto rir.

Aqui.

quarta-feira, novembro 14

Preciso denunciar


Tirei essa foto hoje do meu apartamento. Calculo que a faxineira deva estar no décimo, décimo primeiro andar. A patroa do lado de dentro, entregando os produtos de limpeza.

Um elegante prédio na Fernão Cardim, no Jardins.

Como denunciar? Onde denunciar? Alguém sabe? Ao menos vai me dar um  pouco de tranquilidade.


terça-feira, novembro 13

Da série: As melhores frases lá de casa.

Via SMS.

Eu: "Mas é claro que, de novo, eu fui de tênis [velho, fodido e vergonhoso, que eu sempre esqueço de trocar antes de sair de casa] pra facul e só percebi agora que cheguei em casa. Óbvio."

A mãe: "Hahahaha, você não tem acordo, não. Eu avisei, a vó também. Continue assim que de repente a sua turma faz uma vaquinha e compra outro pra você. Rs."

Eu: "Hahahaha. Vaca."

Acho que é sobre dicionários.

sinceridade
sin.ce.ri.da.de sf (lat sinceritate) 1 Qualidade de sincero. 2 Franqueza, lealdade; ausência de dobrez ou de hipocrisia; lisura de caráter. 3 Palavras ou observações sinceras. Antôn (acepções 1 e 2): fingimento, hipocrisia.

Que palavrinha difícil, hein! Você leu? Entendeu direitinho o que ela significa? Consegue, sinceramente, usar a palavra "sincero" como adjetivo para você mesmo? Sim, sério! Sem redundância.
Tem hora que dá medo, insegurança. Tem hora que fere o ego. Tem hora que a gente prefere os jogos, o teatro, a fantasia. Tem hora que machuca: a gente, os outros, todo mundo. Acho que ninguém tem cacife para atirar uma primeira pedra, mas todo mundo quer meter logo é uma "chuva de granito" - como diria minha avó, rs - no baile todo.
[Mas sabe que no meio desse papo sem pé nem cabeça, olhando o dicionário, falando da minha vovó, encontrei uma outra definição, bem bacana, para "granito"?]

granito
gra.ni.to sm Reg (Minas Gerais) Sol ou calor intenso, depois de muitos dias chuvosos.

Vem lá da terra da Marie e, olha só: uma rocha eruptiva se transforma num lindo dia de Sol através de uma busca super rápida num dicionário! A nossa busca é bem mais complexa, mas será que é impossível? Será que esse lindo Sol que é a franqueza e a lealdade não consegue derreter esse nosso duro muro de granito, medo, ego e encenação?
Que exercício! Tenho pensado muito nisso e travado graves batalhas internas e externas para não me perder nessas pequenezas que a gente mesmo produz ou que sofremos diariamente. O tal do granito (última vez que falo dele, prometo) também é feito de pequenos grãozinhos agregados. A gente vai se acostumando a juntar esses pedregulhos e nem percebe o peso que está carregando, no fim das contas. Melhor seria se largássemos tudo pelo caminho. Aí, se juntássemos tudo depois, os meus, os seus, os deles, daria para fazer um montão de areia. Então, já temos o Sol, a areia, a água do "depois de muitos dias chuvosos"... Pô! Taí uma praia! E de água de chuva, água doce, por que água salgada ninguém merece, nem o escorrer dos olhos.

segunda-feira, novembro 12

Erro Conceitual


Aí tem o Murilo, do vôlei, sabem? Então... um espetáculo. O homi é ruivo - mas assim, não é um ruivo qualquer, lisinho tonalidade única não... é uma ruivice complexa, galega, uma coisa assim - ele tem pintinhas, sardas de várias tonalidades, nuances, matizes, etc... Quando o  fizeram pensaram assim - vamos testar a paleta de cobres, laranjas e marrons... E pra completar, aqueles zóião azul que benzadeus...

Resumindo, o diferencial do guri é que ele é um espetáculo de cores... aí vem a revista TPM (que por sinal eu adoro) e me faz um ensaio com o guapo... em preto e branco. É pra matar uma de desgosto, nénão???

Táquipariu, viu...

153ª Lei de Murphy

A precipitação pluviométrica é relacionada com o deslocamento dos pobres mortais que precisam sair para trabalhar. Trata-se de uma função que segue o seguinte comportamento - no começo, enquanto a criatura está dentro de casa, prestes a sair, e no final, quando ela se aproxima e chega finalmente ao local de trabalho, a precipitação tende a zero. No meio do trajeto, quanto mais ela vai se afastando de qualquer ponto de proteção, de qualquer marquise, árvore frondosa ou qualquer outro ponto de proteção, a precipitação vai crescendo, chegando a tender ao infinito, com direito a raios e trovoadas, na parte central - quando a coitada está passando pelo descampado total.

Já viram, né. Estou ensopada e com o bom humor destruído. Boa segunda-feira pra todo mundo!

domingo, novembro 11

É sério que uma pessoa escreve umas coisas assim em sã consciência?

(...) "Homossexuais se consideram discriminados, por exemplo, por não poder doar sangue. Mas a doação de sangue não é um direito ilimitado – também são proibidas de doar pessoas com mais de 65 anos ou que tenham uma história clínica de diabetes, hepatite ou cardiopatias. O mesmo acontece em relação ao casamento, um direito que tem limites muito claros. O primeiro deles é que o casamento, por lei, é a união entre um homem e uma mulher; não pode ser outra coisa. Pessoas do mesmo sexo podem viver livremente como casais, pelo tempo e nas condições que quiserem. Podem apresentar-se na sociedade como casados, celebrar bodas em público e manter uma vida matrimonial. Mas a sua ligação não é um casamento – não gera filhos, nem uma família, nem laços de parentesco. Há outros limites, bem óbvios. Um homem também não pode se casar com uma cabra, por exemplo; pode até ter uma relação estável com ela, mas não pode se casar. Não pode se casar com a própria mãe, ou com uma irmã, filha, ou neta, e vice-versa. Não poder se casar com uma menor de 16 anos sem autorização dos pais, e se fizer sexo com uma menor de 14 anos estará cometendo um crime. Ninguém, nem os gays, acha que qualquer proibição dessas é um preconceito. Que discriminação haveria contra eles, então, se o casamento tem restrições para todos?" (...)

Trecho do texto "Parada gay, cabra e espinafre" publicado na Revista Veja.
Escroto..., digo, escrito por J.R. Guzzo.

Divine!

Fiquei sabendo AGORA!

Quem estiver pela roça campineira ou redondezas, é hoje, das 14h às 22h.

Bazar Clube das Pin-ups

sábado, novembro 10

Quanto eu tenho que DAR para pegar carona neste ve-ê-co-lo?


Problema nenhum. Eu dou.

sexta-feira, novembro 9

Arrogantes

Impressionante como a arrogância provoca um efeito paradoxal e faz com que a pessoa acabe passando atestado de ignorância. O arrogante se acha inteligentíssimo, desdenha os outros, dá palpite em assuntos sobre o qual não domina - porque, claro, para ele, a área de conhecimento que ele domina é a mais importante do universo, a mais difícil, e todo o resto é fácil, coisa de pessoas menos aquinhoadas intelectualmente.


A soberba faz com que a pessoa desqualifique as outras, ou que emita opiniões absolutamente estapafúrdias, onde o que caberia seria a humildade de reconhecer - Não é minha área. Não tenho como opinar. Ao agir assim, o arrogante cria situações absolutamente constrangedoras. Faz afirmações infantis, simplistas, e demonstra não ter o menor conhecimento sobre as complexidades da vida, sobre a necessária intersecção dos campos de conhecimento. Ao desmerecer uma pessoa, ignora todo um processo de criação e acumulação de conhecimentos acumulados por ela, e demonstra que ele, o arrogante, não é capaz de raciocinar direito. Por querer dar sempre uma opinião, ter sempre a última palavra, em qualquer assunto, acaba demonstrando uma ignorância crassa. Durante muito tempo eu pensei que a característica mais constragedora que uma pessoa pudesse ter fosse a burrice motivada. A pessoa que não sabe, mas insiste em falar alguma coisa assim mesmo. Pois tem pior - o burro soberbo: aquele que, além de não saber, acha que sabe mais ou então que o assunto é tão trivial, que ele, sua majestade inteligentíssima, pode discorrer naturalmente sem precisar se informar ou estudar - coisas necessárias para os não tão geniais como ele.

Sim, é um desabafo. Coleciono alguns arrogantes pela vida. Pessoas próximas, e alguns deles eu amo. E justamente por amar, acabam me causando desconforto, vergonha alheia. Como eu gostaria que eles fossem um pouco mais humildes para que não passassem tanta vergonha, viu...

Ajuda.

Alguém já usou aparelhos ultrassonoros para espantar ratos? Sabe dizer se funciona bem? Ou ainda, conhece algum outro método sem crueldade para espantar os bichos? Preciso tirá-los de um canil. Não há como tirar os cães do local, nem temporariamente, para isso. Obrigada.

quinta-feira, novembro 8

Não sabia que a "joaninha" na língua inglesa se chama "ladybug". Entrou para a minha lista de palavras mais fofas do mundo, junto com "pochoclos".

E falando nela, vejam essa tirinha que é o máximo.


Salvem suas almas.

Via Flávio Gikovate. A melhor herança que a dona Arabiane me deixou. Em caso de emergência, leia um artigo.

quarta-feira, novembro 7

Primeira página de um jornal de hoje aqui da roça


Desnecessário acrescentar mais algum comentário, né?

Não tá fácil pra ninguém.

tumblr-ironiza-sobra-de-ingressos-do-show-de-lady-gaga-com-montagens
Quando tu passa uma cantada via Twitter para um crítico inglês de cinema, é chegada a hora de pedir emprego numa empreiteira, né?

By the way, yes Scott, you're "handsomuch".

terça-feira, novembro 6

Lips da Lili - Twittando

Primeira consulta com a psicóloga. Uma fofa. Fiquei super a vontade e tagarelei feito uma matraca.

A Nana Gouvêa, no fim das contas, é uma gênia. Devia agora escrever um livro de auto-ajuda: "Como sair do limbo em alguns cliques".

Sacana é o pernilongo que me picou bem em cima de um machucado. Deve estar me olhando e dizendo: "Coça, loser!".

Muito drama: ou é engraçado, ou soa ridículo ou é ofensivo.

E vamos ao segundo dia de luta para convencer o corpo e a mente a abandonar a rotina de dormir às 6h e acordar ao meio-dia. Isso não nos pertence mais.

E se nada mais funcionar, puxe o plugue da tomada. =)

segunda-feira, novembro 5

Coisas que aprendi com os filmes franceses

- Todos os franceses fumam pra caralho, em qualquer lugar e a qualquer hora;
- Todos os franceses têm um copo no banheiro com o qual bebem água da pia;
- Todos eles são cultos e leem muito;
- Todos são sagazes e usam frases de efeito fantásticas a todo momento;
- Todos têm, terão ou já tiveram uma relação a três (por isso a expressão "ménage à trois" ser em língua francesa);
- Todas as mulheres francesas começam a fazer a maquiagem pelo rímel (os homens também, quando lhes agrada a ideia - vide Laurence Alia).

sábado, novembro 3

Indescritível.


Exibição de Nosferatu no Ibirapuera com execução musical ao vivo (orquestra e coral). Simplesmente EXTRAORDINÁRIO. Mais de 20 mil pessoas no local. Minha melhor experiência áudio-visual ever.

Mais fotos.

quinta-feira, novembro 1

Hoje é dia internacional do Veganismo.


Por questões éticas, por respeito, compaixão e amor aos animais - humanos e não humanos -, por respeito à nossa casa, eu estou nessa. Saiba mais sobre o assunto neste site vista-se.com.br ou neste documentário (pode ver sem medo):

Aí meninas e meninos...


O que surpreende? O que e óbvio? O que parece fake?

quarta-feira, outubro 31

Tu vai perder? Eu, nem morta.

NOSFERATU / NOSFERATU, EINE SYMPHONIE DES GRAUENS 1922 ● Alemanha ● PB ● 35mm ● 94 min. ● Ficção

02/11/2012 - Sexta - 20h
Parque do Ibirapuera

EXIBIÇÃO AO AR LIVRE NO PARQUE IBIRAPUERA COM ACOMPANHAMENTO MUSICAL DA ORQUESTRA PETROBRAS SINFÔNICA E DO CORAL DA OSESP, REGIDOS POR PIERRE OSER

Daqui.

Festinha de Criança


Daí que temos, aqui no trabalho, uma rede informal de comunicação em que comentamos notícias, anunciamos alguma coisa que tenhamos para vender, fazemos indicações e consultas sobre profissionais, essas coisas. Uma espécie de versão virtual da famosa rádio-corredor.

E eis que hoje me deparo com o anúncio de um colega perguntando se alguém conhece alguma empresa que faça festinhas de criança em casa. Quer alguma coisa de boa qualidade e preço baixo, avisa que quer o bom esquema de bolo, salgadinhos, docinhos, refrigerante e alguma coisinha pros adultos, mas que nos estabelecimentos especializados que já pesquisou achou o preço meio salgado.

Fico aqui me perguntando - sério que até pra fazer uma festinha simples em casa todo mundo hoje tá buscando profissional especializado, é? Até entendo que uma super festa, alugar um espaço todo decorado, com jogos, brinquedos, palhaços, mágicos e etc, pode ser uma opção pra quem está com grana sobrando, não quer ter trabalho nenhum e quer investir mesmo numa superprodução. Particulamente não gosto muito, acho estranho, mas gosto é gosto - e como diz o sábio mordomo, cada um sabe de suas próprias motivações.

Agora, pra fazer um bolinho, fazer um panelão de cachorro quente, encher uns balões, colocar umas cocas e cervejas pra gelar e arrumar uma bela mesa com docinhos e salgadinhos, precisar de ajuda profissional, pra mim é dose, viu! Quando eu era criança isso fazia parte da festa! Os docinhos eram feitos em casa, ajudávamos minha mãe a enrolar brigadeiros, um ia cortando os pãezinhos de leite, outros enchiam os balões. Meu pai geralmente ficava responsável pelas bebidas (ficar responsável pela bebida era encher o tanque de gelo, colocar as garrafas lá e ir fazendo a manutenção - repondo o que fosse necesário, providenciando mais gelo, e praticamente só). O bolo, normalmente, era encomendado por alguma doceira da cidade - e toda cidade tem sempre uma, geralmente muito boa. Salgadinhos também eram feitos em casa naquela época, mas reconheço que hoje em dia seria pedir demais (cozinha pequena, cheiro de fritura na casa toda, fumaça, confusão no fogão, as coisas mudaram) - uma ida à padaria resolve facilmente o problema. A decoração eram fitas, papel crepom, enfeites de isopor, coisas assim. Coisa muito chique era contratar um mágico - isso só era possível de vez em quando - pra animar a festa por algumas horas, e pronto! Ficávamos tão felizes, era tudo tão bom, tudo corria bem, não tinha stress nenhum.

Hoje não tenho filhos e convivo pouco com adultos que tem crianças - meus irmãos tem um filho cada um mas moram longe, e não sei como é o dia-a-dia deles como papais e mamães, por isso fico tão surpresa e realmente me perguntando se isso é uma tendência geral. Se os adultos hoje contratam gente pra arrumar uma festinha simples de criança em casa. Acho que quem faz isso, não sabe o que perdendo.

A que ponto chegamos, não?

terça-feira, outubro 30

Bando de fanfarrões esses jornalistas.


Tu lê a primeira frase e aguarda um "de guitarra da banda Metallica", "mais aguardado de sua carreira" ou algo do tipo, logo na sequência. Mas não.

segunda-feira, outubro 29

Dia feliz para os brasileiros "mal dotados"... #BrazilLovesLittleThings nos TTs.

@lilicheveuxdfeu

No cinema


Um filme que se assemelha muito a Garota Interrompida, mas agora pela visão masculina.
Chorei, ri, me emocionei, baixei a trilha.

O melhor filme do ano, até agora.

Séries de TV


São 8 anos vendo uma série. Uma série que deveria ter acabado no ano 4, quando não havia mais histórias a serem contadas.

Mas mesmo assim, fui fiel e persisti até o final. Ontem dei meu adeus a Nancy Botwin - Weeds. É triste partir.

One reason why I don't drink is because I wish to know when I am having a good time. - Nancy Botwin

Saladinha sem graça


Cozinhar tem sido um Hobby bem interessante. Neste final de semana fiz uma saladinha diferente. Piquei maçã verde, salsão e nozes. Para molho misturei creme de leite com Curry e servi em uma cestinha de provolone - FEITA EM CASA!!!.

Ficou uma delícia e a coisa mais linda do mundo.

Tô me puxando como doméstica mesmo.

sexta-feira, outubro 26

Resumo de Sampa, dia um.

Primeiro dia. Encontrei um antigo colega de trabalho que não via há séculos no metrô, a mocinha do filme tinha o meu nome, um barbudo lindo tropeçou e quase caiu em cima de mim na calçada e para fechar com chave de ouro cruzei com o Vladimir Brichta na Rua Augusta. Te amo Sampa.

quinta-feira, outubro 25

Salão do Automóvel



Em plena cidade de São Paulo, com seus 200 km de engarrafamentos diários, carros por todos os lados, as pessoas enfrentam filas enormes e pagam R$ 70,00 para ir ao Salão do Automóvel para ver... carros!! Gente, eu acho isso tão engraçado! Na rua tem pra todos os gostos - velhos, novos, bonitos, feios, discretos, chamativos, pequenos, grandes, de todas as cores! Eles estão andando, estacionados, se arrastando nos congestionamentos, em cima das calçadas, infernizando a vida de todo mundo e ainda assim exercem esse fascínio. As pessoas pagam para ver carros novos.

Fui uma vez ao Salão, acompanhando meu irmão, há alguns anos atrás. Achei tudo tão brega, tão ridículo, tão sem propósito. E além do mais, muito sexista. Aquelas coitadas daquelas modelos, se expondo com roupas provocantes e sorrisos artificiais com aqueles homens todos babando em volta, hordas e hordas de pessoas tirando fotos de tudo, amontoadas em volta de carros que ficam rodando em cima de plataformas redondas, uma coisa assim - não sei descrever, é muita bizarrice. É engraçado, infantil, irritante e deprimente ao mesmo tempo. E caro, né. Ingresso, estacionamento, lanchinho - a roubada acaba saindo por um valor que dá tranquilamente pra passar um fim de semana pra lá de bacana.

Alguém aí consegue me explicar? Me apontar um motivo pra gostar daquilo? Que graça tem em olhar carros?

Na minha cabeça, não entra.

quarta-feira, outubro 24

E a gente reclamando do Tiririca.

A 15 dias das eleições americanas, o debate sobre o aborto volta ao centro da campanha. Se, em agosto, o deputado Todd Akin disse que "se ocorrer uma violação legítima, o corpo da mulher tem mecanismos para se fechar" e evitar a gravidez; agora foi a vez do candidato republicano ao Senado por Indiana polemizar. Durante debate na terça-feira, Richard Mourdock disse que se a mulher engravidar após ser estuprada será "por vontade de Deus".  


"Mecanismos para se fechar" e "vontade de Deus"...  Quem se droga mais, o primeiro ou o segundo?

Daqui.

O Rio de Janeiro continua sendo...


No último fim de semana fui ao Rio e passei dois dias deliciosamente despretensiosos. Não tinha planos, só visitar família e amigos, e ficar um tempo sem fazer nada, fazendo o que desse vontade. Muita caminhada no calçadão, muito choppinho em boteco de beira de calçada, muito petisco, ótimos encontros com gente querida, foi muito bacana. E bem no último dia o mais gostoso de tudo: o choppinho de despedida à noite, no Belmonte de Copacabana, acompanhando aquela tradicional pizza de botequim, que a gente só encontra no Rio de Janeiro. Massa borrachuda, sabores básicos, tipo presunto, calabresa, catupiry, atum e etc...


Muito se propala que as pizzas de São Paulo são inigualáveis. Concordo. Ambientes bacanas, forno de lenha, massa assada à perfeição, coberturas sofisticadas, receita italiana, as paulistas são imbatíveis. Mas paradoxalmente, as cariocas também não encontram par - zero frescura, massa comum, cobertura comum, um tiquinho borrachudas, simples, fartas, honestas. Carioca não sacraliza pizza - é um mata fome como outro qualquer, um acompanhamento como qualquer outro para o verdadeiro astro das mesas e balcões de qualquer birosca da cidade - o chopp, sempre gelado, bem tirado, com a espuma no ponto certo, refrescante e delicioso. Uma ode ao bem viver. Uma verdadeira instituição do Rio de Janeiro.

Mas voltando à pizza - a da nossa despedida do Belmonte chegou quentinha, cortadinha à francesa, com calabresa e azeitonas, para ser comida como aperetivo - bem ordinária, bem gordurosa, muito mais barata do que a média que a gente paga em outras cidades. E para coroar, a suprema heresia carioca - junto com a redonda, chega à mesa o tubo vermelho de catchup, que eu escolhi para ilustrar esse post. Porque carioca que é da gema mesmo, não dispensa o catchup na pizza. Não combina, não se explica. Mas é assim que eles gostam, e pronto.

É como se dissessem atrevidamente - Isso aí não é caviar. E isso aqui não é bistrô chique. Deixe suas frescuras para outros ambientes, porque aqui, em um boteco qualquer do Rio, você veio para relaxar, tirar as havaianas, falar sobre o último capítulo da novela, socializar com o pessoal da mesa do lado, ser feliz e voltar trocando as pernas pra casa. Espalhe bem o catchup por cima do queijo, e aproveite pra forrar o estômago. Vai mais um chopinho aí?
“Eu chorei muito, e foi muito difícil... Mas descobri”, e a voz engasga, “que eu era muito amada pelas pessoas.” Ela conta com os olhos cheios que foi convidada para o CQC e que uma das melhores noites de sua vida foi quando gritaram seu nome em um VMB, da MTV. E que realizou o sonho de conhecer o Silvio Santos, a Marília Gabriela, o Olivier Anquier... lançou livros de receita, um site e um Twitter cuidado pelos netos... virou vovó-propaganda de muitos produtos... e de outros desistiu, como uma marca de batatinhas que tentou, mas Palmirinha pulou fora no meio da gravação. Não conseguia – nem queria mais tentar – pronunciar Ruffles.

Palmirnha, para a Revista TPM. Aqui.

Férias.

Amanhã eu caio em Sampa para curtir a Mostra de Cinema. Se alguém também estiver por lá, mande um sinal de vida.

terça-feira, outubro 23

Pesquisa: O que vocês preferem, ler o FDD aqui no blog ou na nossa página no Facebook?
Já ouviram falar sobre a Terapia de Gerson? Alguém já experimentou ou conhece alguém que pratica?

http://www.gersonterapia.com/


"A pior parte foi perto do fim. Um monte de gente morreu bem no fim, e eu não sabia se ia conseguir sobreviver por mais um dia. Um fazendeiro, um russo, que Deus o abençoe, viu meu estado, correu até a sua casa e voltou com um pedaço de carne para mim." 
- Ele salvou sua vida. 
- Eu não comi. 
- Não comeu? 
- Era porco. Eu não ia comer porco.
- Por quê? 
- Como assim, por quê? 
- Porque não era kosher, é isso? 
- Claro. 
- Mas nem mesmo para salvar a sua vida? 
- Se nada importa, não há nada a salvar. 

Jonathan Safran Foer é sempre impressionantemente maravilhoso.

segunda-feira, outubro 22

O que não faz o desespero por ibope...

Vejam só.
Notícia.

Eu estava lá e lhes digo: essas idiotas que não passam de umas desesperadas por enfiar os peitos na mídia, além de não fazerem performance nenhuma (se realmente estão pensando em ser artistas, recomendo mais uns 15 anos de estudos, no mínimo), ainda destruíram os jardins do local. Isso por que a todo o momento os locutores pediam para o público tomar cuidado com o jardim, pediam que não pisássemos nas plantas, que policiássemos os colegas... Enfim. Foi quando vi as criaturas rolando no mato que resolvi ir embora levando a minha vontade de chinelar a orelha de todo mundo. Tá faltando infringir a Lei da Palmada, galera.

sábado, outubro 20

Festival Planeta Terra em duas palavras...

Orlando Weeks.

E a música do domingo, dele, claro, na maravilhosa apresentação do sábado.

sexta-feira, outubro 19

Novo rímel de uma marca aí promete cílios até 92% mais longos. Propaganda enganosa não tem limite ou o rímel vem com cílios postiços de brinde?

quinta-feira, outubro 18

#oioioi

KEEP CALM  E PARE DE TREMER PENSANDO NO TUFÃO.

Da série: As melhores frases lá de casa

Dona vovó: "Lili, eu faço o bróco* branco ou o verde para a janta, hein?"

* bróco = brócolis
brócolis branco = couve-flor

Aaaaaaaaaaaaaaaaai, que vontade de esmagar de tanto abraçar!!!

quarta-feira, outubro 17

Jantinha

E eis que hoje Cheri e eu vamos receber três amigos pra lá de queridos para um vinho e jantarzinho que eu mesma vou preparar.  Entre os petiscos, entradinhas e prato principal, escolhemos quatro pratos (tá, na verdade são três, porque um deles é muito trivial, é um tira-gosto mesmo...).

O detalhe é que nós dois, loucos de pedra, acabamos escolhendo quatro opções que nunca experimentamos antes, que nunca fiz, vai ser tipo experiência, laboratório mesmo. (Culpa de Nigella Lawson - a gente olha o livro dela e tem vontade de experimentar tu-di-nho!). Até tenho uma boa noção de cozinha, sei interpretar uma receita, adaptar o que for preciso, mas convenhamos - testar quatro receitas com convidades é uma temeridade. Estou vivendo momentos de tensão.

Ai, gente, será que vou perder os amigos??

terça-feira, outubro 16

Parem o mundo que eu quero descer...


Vamos ver se eu estou entendendo direito... tanto Serra quanto Haddad, em suas carreiras públicas passadas, já produziram material educativo anti-homofobia. Trata-se de ação de importante cunho social, digna de aplausos e determinante para que nossas crianças e jovens cresçam com menos preconceitos, menos violentas, e com maior discernimento sobre as complexidades da vida e da sexualidade. Confere?

Agora, parece que está rolando um certo constrangimento por parte de ambos, como se tivessem cometido algum delito terrível sobre o qual estão tendo que dar explicações??? Ambos estão sendo ACUSADOS de efetivar uma importante política pública e estão ENVERGONHADOS dela??

Escuta, minha gente, que mundo é esse??? Que raio de cidade, de país, impõe esse tipo de vexame aos seus homens públicos??? E que raio de homens públicos são esses que fogem do assunto como o diabo foge da cruz e que se envergonham de fazer o bem, de praticar uma ação inclusiva e determinante no combate à violência física e psicológica contra uma considerável parecela da população???

Olha, meu povo, depois dessas eleições para a prefeitura de São Paulo a expressão "inversão de valores" ganhou, sem sobra de dúvida, a sua melhor definição.

Tô pasma.

Hello, Jason!


Este post era para ter sido escrito ontem. Depois de dois meses de muito trabalho, estudo e problemas, finalmente as coisas se acalmaram um pouco (um pouco só, bem pouco) permitindo que eu tenha um tiquinho mais de tranquilidade nas minhas noites, e que possa voltar a me dedicar às coisas que eu gosto.

Então, cheguei em casa, fui para a academia (depois de um longo período de afastamento), fiz o jantar, vi a novela e aí me deu uma preguiça louca de ligar o notebook, uma vontade infinita de continuar no sofá, vendo algum filme até o sono chegar definitivamente, e foi exatamente o que eu fiz. Considerei uma vitória – fazia tanto tempo que eu não fazia isso! Tanto tempo que eu deixava de ligar o computador à noite pra fazer alguma coisa. Tanto tempo em que eu não ia dormir sem antes dar uma olhadinha em alguma rede social! Pois ontem o danado ficou lá, desligado, enquanto eu revia a Identidade Bourne, meio cochilando antes de ir pra cama.

Pode parecer estranho alguém que escreva em um blog (e que gosta muito de fazer isso) reconhecer que está um pouco saturada da vida virtual, e querer diminuir suas horas em frente ao computador, mas é exatamente assim que eu estou. Trabalho o tempo in-tei-ri-nho conectada, estudo conectada, resolvo as coisas e pago contas conectada e de uns tempos atrás comecei a ficar deprimida ao perceber que até para falar um oi para um amigo, para mandar um abraço, para saber as novidades eu também precisava estar conectada. Assim, tomei a decisão de que, pelo menos à noite, depois da missão diária cumprida, na hora de relaxar, o computador vai ficar desligado para que eu possa ler, ver porcaria na televisão, passear, andar pelo bairro com o cachorro, jogar conversa fora, jogar baralho, olhar para o teto e deixar o tempo passar, qualquer coisa presencial!

Certamente terei muito tempo durante o dia para escrever aqui (exatamente como estou fazendo agora) e para continuar com minha carga diária de atividades, contatos e diversão online. E, pelo menos durante as noites, não vai me fazer mal algum deixar o notebook lá, fechadinho, descansando. Qualquer email importante pode ficar para o dia seguinte, certo? E não vai me fazer tanta falta assim ver a foto de algum cachorrinho fofo me dizendo uma gracinha, ser lembrada que a sexta feira está sendo esperada ansiosamente ou descobrir que algum conhecido acabou de comer pizza, está indo tomar banho, ou alguma coisa do gênero.

O post que eu ia fazer ontem? Ai, esqueci... Mas pra não ficar sem assunto, e para justificar o título – Gente, como Identidade Bourne é bom, e embora não faça exatamente o meu tipo, gizuiz, como o Matt Damon é lindo!!!!

Todas vendo Avenida Brasil

Banda Garbage, via Twitter: "Santiago! You stole a little part of our hearts tonight. It was a very special evening. Emotional even! We will never forget your love.. Sx"

Aqui.

segunda-feira, outubro 15

domingo, outubro 14

E você? Como passou o domingo?

[possível diálogo]

- O que você fez neste domingo?
- Ah... Fiz muita coisa! Lavei roupa, li um trecho de um livro, passeei e brinquei com um cão, ouvi música, fiz comida, assisti TV... E você?
- Eu? Bom, eu rompi a barreira do som com o meu corpo...

Nunca entendo mais da metade dos Trend Topics do Twitter.

Agora:

We Believe In Delena Love
#MelanieNossoMaiorOrgulho
#BTRForGrammy2013
#GusttavoLimaNoFaustao
Selena Inspires The World
Kieza

Sobre a importância da palavra.

Não. A reportagem não diz que ela tem bafo. Diz apenas que ela não se sente preparada como atriz para fazer uma cena de beijo. Jornalista fanfarrão.

sábado, outubro 13

CAIXINHA DE FÓSFOROS E SURPRESAS


"Minha mulher tinha a mania de colocar os fósforos usados de volta para a caixinha.
Assim que riscava, guardava os palitos velhos com os novos.
Nunca colocava fora, apesar da facilidade do lixinho branco em cima da pia.
Nem acho que era pressa, mas hábito. Tentei adverti-la uma vez, duas vezes, até que estava sendo desagradável e desisti (quando marido se assemelha a um pai, é o momento de calar a boca).
Mesmo disposto a me adaptar e não comprar briga, eu me irritava com aquela roleta-russa toda manhã. É evidente que pegava de imediato uma série de fósforos queimados – não sei se você sabe, mas sou o autor da Lei de Murphy na Câmara de Vereadores de Porto Alegre.
O azar me premiava. Jamais retirava de cara a cabeça ruiva da caixinha amarela. Sacrificava preciosos minutos para preservar a chatice da esposa.
Acender incenso, acender fogão, acender vela reivindicavam o suspense do sorteio, a contagem de votos da eleição. E muita paciência para não gritar um bom desaforo ao longo da porta.
Aquilo era ainda mais claustrofóbico para quem aprendeu a tabuada separando grãos de feijão e fósforos. Reproduzia o terror das provas orais, das superações matemáticas.
A caixa não se abria como uma caixa, e sim se aprofundava como uma gaveta desorganizada, uma bolsa de mulher, um armário de solteiro. Solicitava o dobro de cuidado para revirar o fundo e contornar as pontas com o tato.
Eu me enxergava penalizado, diferente de qualquer pessoa normal, que apenas riscava o fulgor e não pensava.
Sofri dois anos com minha indisposição.
Somente hoje reparei que gosto imensamente da dúvida, da possibilidade de colher um fogo extinto ou um fogo vivo.
É uma ansiedade feliz. Uma expectativa pequena, porém agradável.
Encaro o fósforo e confiro se ele tem a pólvora intacta, se vai explodir sua cabeleira loira e azul. Faz sentido, porque liberdade significa manter nossa disposição para se surpreender dentro da rotina.
Presto uma maior atenção na chama, no seu desenho e som. Descubro que o fósforo é um relâmpago em miniatura, tão bonito quanto os raios que cortam os morros e céus. Solto uma risada infantil assim que ele mantém sua auréola firme.
Amar a si próprio é esse movimento: não se resignar, não se conformar com o que foi feito, não mergulhar na repetição desanimada dos dias: olhar cada lembrança de frente e ver se ainda queima. Olhar cada palavra de frente e ver se ainda queima. Olhar cada atitude de frente e ver se ainda queima.

E incendiar a nossa vida na vida do outro."


Daqui.

quarta-feira, outubro 10

Seus problemas acabaram!

É só preparar mais uma fraudezinha e pronto. 

Dos tipos de gentes que existem por aí.

Pessoas que só se lembram que eu existo quando encontram uma mensagem esculhambando o vegetarianismo, eu estou dispensando do meu convívio.
A última (agora, faz alguns minutos) foi uma pseudo-amiga que há mais de um ano recebe convites meus para cinema, teatro, shows e simplesmente ignora ou inventa uma desculpa para não ir. Isso por que eu frequento até churrascaria ao lado de um amigo, numa boa. Pego meu pratinho de arroz, feijão e vegetais e não perturbo ninguém.
Agora, a pessoa tem o trabalho de me mandar um e-mail, mensagem ou recado ao vivo com a finalidade de me perturbar e pensa que não vai receber uma resposta à altura e até mesmo grosseira, hum... melhor pensar de novo.
Achei caro. 34 contos. Mas tem um perfume maravilhoso (manga verde) e deu um jeito fenomenal na minha juba. Aplico nos cabelos depois de lavá-los e passo o secador: não deixa frizz e tira o volume. A textura dos fios fica um pouco estranha, mas a aparência, ótima. Recomendo.
Tem aqui.

terça-feira, outubro 9

Mais que uma pena, várias penas...

Não foi apenas a perda de uma vida, que por si só já é lamentável e triste, mas [e isso nem a única reportagem que encontrei sobre o acidente revela] a perda de uma ativista que lutava pelas causas ambientais no nosso país. Tatiana de Carvalho fazia parte do Greenpeace no Brasil e atualmente participava das campanhas por um Brasil Livre de Transgênicos e pelo Desmatamento Zero. Uma lutadora a menos num mundo desses é uma perda tão gigantesca, mas que no entanto não merece espaço na mídia.

Abaixo o FEMEN!

QUEREMOS O MACHEN!


Lips da Lili

Sempre que meu pai aparece, depois de anos e anos sem nos vermos, eu me lembro e me impressiono com aquele negócio chamado herança genética. É inacreditável.

Várias pessoas já me disseram que eu sou "exótica". Hoje eu tive a curiosidade de procurar "exótico" no dicionário.
exótico e.xó.ti.co adj (gr exotikós) 1 Diz-se do animal ou da planta que não é natural do país onde vive. 2 Procedente de país estranho. 3 De mau gosto. 4 Desajeitado. 5 Esquisito, extravagante.
O próximo eu mando à puta que o pariu.

Quem não chorou hoje vendo o Adauto abandonando a Muricy, pode marcar uma bateria de exames: é certo que o coração está com algum problema grave.

E é aquela coisa, né? A gente vê na novela, mas acontece na vida real, tanto quanto. Cidadão me apontou muito o dedo por conta de um determinado episódio na minha vida. Hoje eu descobri um episódio do dito cujo tão condenável quanto aquele meu.
Condenável, quem não é?

Estou vendendo um ingresso para o Festival Planeta Terra. Se alguém se interessar, comente aqui ou mande um e-mail. Deem uma força. Agradecida.

recado para os rapazes.


segunda-feira, outubro 8

Aí, paulistanos.

Gravação do programa 'No divã do Gikovate' 
Terça-feira, 9 de outubro às 18h
Com Flávio Gikovate
Local: Livraria Cultura do Conjunto Nacional - Av. Paulista, 2073 - Sampaaaa!
Não percam.

Arriscando na cozinha


E fiz a primeira batata Rosti da minha vida. E ficou um arraso.
Quando você virá me visitar Rose?  Já tô com uma lista de coisas para fazer para te receber!

E a música de domingo, atrasada, mas no clima.

Lips da Lili - Domingo pesado

Sofri bullying durante essas eleições, hein! Me enfiaram na sala de Justificativas. Minha seção original tinha uns 300 eleitores, na sala de Justificativas passaram quase 900 pessoas. Mereço SEIS folgas.

Mereço seis folgas e um braço novo.

Anônimo comentou ali embaixo que não conhece o Gangnam Style. Seus problemas acabaram: Latino acaba de fazer uma versão em português da música que deu origem à febre. Respiremos.

E os resultados das eleições, hein? Como lidar?

Eu reclamo muito de tudo, mas de segundas-feiras, quase não. Posso hoje, please? Pode, Rose?

Merda de domingo cansativo seguido de uma segunda-feira que não é feriado.

Boa semana para todos! =)


sábado, outubro 6

De hoje até o dia 13 de Outubro, promoção de tricôs nas lojas Maria Filó.

AHuahUAHuahUAHuahUAHua

E na xoxota? Hum?

Gosto realmente é como cabelo: uns têm, outros não.

Amigo do Facebook elogiando o "glamour" desta pessoa e desta produção. Veja bem.


sexta-feira, outubro 5

Nâo curto mais

Pra ser bem sincera, a única coisa que ainda acho legal no facebook é poder compartilhar minhas fotos com os amigos.  Quando a gente publica, todo mundo fica atualizado, e quem quer vai lá, dá uma olhada, faz algum comentário.... porque vamos combinar, né... não há nada mais torturante do que pessoas nos mostrando fotos, querendo que a gente veja uma por uma, explicando em detalhes coisas que  só interessam pra elas mesmas, na maioria das vezes. "Olha, aqui sou eu entrando no avião". "Hahaha. Esse dia foi ótimo. Essa foto é na sorveteria!" ("Jura? Vendo todo mundo com casquinha na mão e o balcão cheio de potes de sorvete eu jamais suspeitaria!!"). No face, gosto de fazer os álbuns, vou postando as fotos que gosto, e quando alguém interage é porque se interessou, já foi lá, viu, e aí sim, rende alguma conversa, uma explicação, uma boa maneira de rememorar alguns bons momentos, compartilhar alguma experiência...

Fora isso, meus queridos, a rede social anda insuportável, será que sou só eu que acho? A semana começa com oitocentas pessoas dizendo "Ai, que saco que hoje é segunda feira". No meio, mais umas mil e quinhetas pessoas ansiosas na torcida: "Fim de semana, chega logo". Na sexta a timeline bomba: "Sexta feira, obaaaaa!!!".  Acho um saco - gente isso é conversa de elevador, é aquela coisa polida que a gente graceja com colegas de trabalho... sério que é pra reproduzir esses padrões no mundo virtual também? Tipo, ninguém tá se vendo, não tem o contato físico, a necessidade de dizer algo, precisamos mesmo falar sobre o tempo, reclamar do calor, do frio??

Quando não é isso, agora são correntes, fotos de bichinhos, denúncias de todos os tipos, indignados de plantão, propaganda política, mensagens religiosas. Uma infantilização meio ridícula - o que foi aquilo de colocar montagem de fotos do Mussum como se fossem outros personagens, gente? Que coisa mais boba! Sério, tá duro de aguentar.

Finalmente, a vergonha alheia. Gente que se acha mais sagaz do que é. Indiretas públicas que de indiretas não tem nada, assuntos constrangedores, exposição e egolatria sem limites. Gente que não te vê a anos, te chanando de queridíssima amiga, de lindíssima (é tudo "íssimo" no facebook, todas as famílias são lindas e abençoadas, tudo de uma falsidade atroz!). No começo, a internet foi uma forma de "limpar" as relações do verniz das regras sociais - conhecíamos as pessoas a fundo, não tínhamos a trava da polidez, do superego, nada disso. Eram tempos auspiciosos para as relações humanas, eu cheguei a pensar que era mesmo um avanço. Depois do facebook, o que eu tenho visto é um retrocesso - a mentira e a hipocrisia foram potencializados, virou todo mundo gente de plástico.  Gente com quem a gente teve pouqíssimo contato e que solta milhares de exclamações a cada post teu (queridaaaaaaaaa!!!!!!!! lindaaaaaaaaaa! amadaaaaaa!!!!!!!) o que é isso, meudeus?? Todo mundo é feliz, cristão, protetor dos animais, eticamente e politicamente corretos e, claro, como somos todos medioclassistas brasileiros, um pouco fascistas - mas só um pouquinho, é aquele fascismo socialmente aceitável e elogiável - tipo falar que mendigo é marginal,  justificar as barbaridades que fazemos por causa da insegurança, e colocar a culpa de tudo nos políticos genericamente. O básico.

Sério, tenho dado uma olhadinha rápida por dia mesmo, e não aproveito mais quase nada, não me divirto mais. Pra falar a verdade tem até me deprimido um pouquinho. Uma pena, porque eu realmente curtia, viu. Achava um bom espaço pra reencontrar pessoas, trocar ideias, eventualmente desabafar, refletir sobre algum assunto legal, me colocar politicamente,  como aqui no Filhas!!! Com a diferença que lá a interação é maior, as respostas mais rápidas.  Agora, já era.

Bom, toda essa reflexão surgiu porque eu me dei conta de que ando sumidíssima (hahaha!)  por aqui, e que esse espaço, o convívio virtual que tenho neste blog me faz muita falta. Se tem um lugar onde ainda é legal vir, escrever, ler, trocar ideias, é aqui, viu. Para mim, os blogs não foram superados, e espero continuar por aqui um bom tempo. Uns períodos mais sumidinha, outros mais ativa, como a vida da gente mesmo. O facebbok que fique lá, como agenda de aniversários.

Beijo gente! E antes que eu me esqueça: "Sexta feira, sua linda, que bom que você chegou!!!!!" "E bom fim de semanis pra todo mundis!!".

quinta-feira, outubro 4

Lips da Lili - Não morar sozinha...

Segundo dia seguido em que eu e a minha lombriga vamos à cozinha focando comer um determinado negócio e no entanto o determinado negócio já foi comido por outrem.

Sempre que meu avô vem pra sala começa a passar o Bataclã e eu morro de vergonha.

Não posso andar pela casa só de calcinha e sutiã neste calor.

Tenho que maneirar no volume da música.

o cidadão fica bem até com essa calça, esse cinto e esse sapato.