quinta-feira, abril 7

Todo trabalhado na polêmica...

Marcelo Camelo abre o bico e fala sobre seu novo trabalho, sobre arte...

"Eles olham com muita raiva para Lei Rouanet, para o estado financiando o artista", diz. "Eu nunca usei Lei Rouanet. Mas não consegui chegar a Belém, por exemplo, na turnê passada. Porque o número de pessoas que eu levo para me ver tocar não é grande o suficiente para que eu leve a minha equipe. Eu faço essa pergunta para você: é justo, é válido, é importante que o estado brasileiro pague para que eu vá a Belém? Acho que a resposta imediata - 'não, o Brasil não precisa disso, precisamos dar comida às nossas criancinhas' - é uma resposta que corresponde a um Brasil de 20 anos atrás. É um duplo complexo de vira-latas: um complexo de um Brasil que não é mais o Brasil que era e um complexo de que a nossa arte, que o nosso inconsciente, não é importante para o nosso próprio povo."

(...)

"Hoje em dia, o olhar de todo mundo está muito voltado para a novidade, para o que está bombando. Agora é a estética do Black Eyed Peas, mas qual vai ser a próxima? Quem vai gostar do Vampire Weekend daqui a dois anos? Vira uma parada que já era muito rapidamente... Tudo é meio pokémon, sabe? O olhar das pessoas sobre as coisas ficou muito pokémon. Sob essa ótica, não faz nenhum sentido a Maria Bethânia, que dedicou a vida inteira, se especializou nisso e virou uma figura proeminente entre os seus pares, ter um blog de poesia."

E, obviamente, [e ainda] sobre o seu namoro:

"Passa o tempo, e passam a achar um pouco mais normal, até esquecem o quão babaca é esse movimento" (...) "Não sei muito bem por que as pessoas se interessaram por isso. O que me causou mais estranhamento foi a reação [negativa] dos veículos liberais, dos indies, das pessoas que sempre defenderam as minorais, aquilo que não está em voga... Já vivi muito preconceito por causa de 'Anna Julia', mas não sei nem o que dizer a respeito disso: nunca tive de prestar conta sobre meus outros namoros, então não entendo por que tenho de prestar agora."

Será que a gente pode classificar algum comportamento ou doença como "Complexo de Mallu Magalhães"? Ora faz sentido e é super ok, ora não dá para entender se é sério mesmo...

26 comentários:

marcelo disse...

A Lei Rouanet devia era pagar cursos de argumentação e português para os artistas, porque, olha... tá confuso o texto do moço, não? Pelo que pude entender, ele acha que seria válido ter patrocínio federal para ir, por exemplo, à Belem, onde não vai sem o patrocínio porque não tem público suficiente, é isso mesmo? Se for, pra mim seria um argumento contra a captação por meio da Rouanet, e não a favor... você vai usar dinheiro público para produzir algo para pouquíssimas pessoas verem? Na minha humilde opinião, dinheiro público na cultura deve ou ser empregado em projetos que tenham a maior abrangência possível ou então, no caso de formação de opinião, de desenvolvimento cultural, devem ser gratuitos... show pop patrocinado com $ público com audiência restrita a uma classe média que pode pagar ingressos proibitivos é o fim do mundo, não é não?

Lili Cheveux de Feu disse...

complicado, né má? nos casos de financiamentos dessa espécie, deveriam no mínimo realizar uma pesquisa com o público para identificar os artistas mais "desejados" pela população e que de repente são os mais merecedores deste auxílio... afinal, acho uma pena que o paraenses, por exemplo, não possam ter o mesmo acesso que o pessoal de algumas outras capitais.

Saulo disse...

Eu vejo os incentivos da Lei Rouanet como uma forma de dar oportunidade para que artistas sem recursos consigam mostrar seu trabalho para a população e como uma forma de possibilitar o acesso da população à cultura. O grande problema é conceder incentivos para que artistas já consagrados façam shows com ingresso de R$ 100.

Lili Cheveux de Feu disse...

mas sabem meninos, que o que mais me espantou foi a declaração sobre o seu namoro? achei que beirou o absurdo.

marcelo disse...

desenvolva, Lili... li sobre o namoro e queria saber o que você achou tão absurdo assim...

O Barba :) disse...

Lili sabe que eu não vou muito com a água que este Camelo bebe. Porém acho que entendi perfeitamente sim o que ele afirmou e é bem isto aí. "Gastar uma FOR TU NA para levar artistas renomados para poucos, não! Ajudar a difundir novos artistas e culturas, sim! Acho que foi isto.

Já sobre o namoro. Ah! coitadinho! Mas eu continuo achando que foi a pedofilia mais publica deste país!
E como pedófilo não posso considera-lo minoria!

Anônimo disse...

Eu posso dizer que eu não entendi porr* nenhuma do que ele disse sobre a lei. hehehe

Sobre o namoro, ele se acha uma minoria discriminada, e não um pedófilo.

Lu

marcelo disse...

Só para eu me situar e poder emitir opinião... quantos anos tinha a moça quando eles começaram a namorar??

gabrielle-bertoldi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lili Cheveux de Feu disse...

16 anos, Marcelo.

marcelo disse...

Honestamente, pedofilia para mim é uma coisa completamente diferente. Há que levar em conta o abuso. O fato do babão gostar de menininho e menininha e abusar... Nesse caso, o cara namorou com a moça novinha, tá com ela até hoje... é completamente diferente de caras que se sentem atraídos sexualmente por adolescentes e vão atras, apenas para se satisfazer. Caras que SÓ ficam com novinhos, com criança. Isso é que é a doença, a perversão. No caso deles, não vejo nada demais no relacionamento, honestamente... (quanto a palavra pedófilo foi mencionada juro que achei que ela tinha 12, 13, algo assim...)

O Barba :) disse...

Deixa eu entender...
Camelão e Maluca Magalhães nao é exploração de menor.

(eu não considero uma garota de 14 anos tenha maturidade de decidir certamente sobre isto. eu e a JUSTIÇA)

Já a garota de 14 anos, em Manaus, que se apaixona pelos agrados do cinquentão com grana e se casa com ele. Esta é diferente da Maluca Magalhães e não tem maturidade e é pedofilia?

Agora eu fiquei sem entender...

Lili Cheveux de Feu disse...

Sei lá, né Má? Ele é uma pessoa pública com seus trinta e tantos anos, namorando e [certamente] transando com uma garota de 16 anos... Com consentimento, tudo bem, mas ainda assim não é algo que deveria ser banalizado. Não sei se para uma pessoa não pública isso seria encarado de forma tão natural.

Daí achei que ele forçou muito a barra na entrevista, como se fosse a coisa mais absurda do mundo ser questionado e criticado numa situação dessas.

marcelo disse...

Exatamente isso. 14 é uma coisa. 16 é outra. Se você não acha que faz diferença, então teríamos que aceitar o fato que se a Magalhães tivesse 18 a coisa também seria errada... são os mesmos 2 anos, né. E os 30 de Camelo também são diferentes dos 50 do de Manaus. Aliás, nem conheço essa história aí do Amazonas para poder opinar direito, mas pelo pouco que você falou, o que dá pra saber é que sim, são coisas completamente diferentes, situações completamente diferentes, imcompatíveis de comparação...

Camelo e Malu estão juntos até hoje, sempre houve aprovação dos pais, os dois são músicos, estão desenvolvendo carreiras juntos, amadurecendo, ela é uma moça saudável, talentosa, ele não está sendo nem um pouco pernicioso pra ela. Digo isso baseado no que está na cara!! Eles são um casal normal, saudável. Talvez o relacionamento deles tenha começado exatamente porque não exista neles a maldade que existe na cabeça dos seus julgadores.
De qualquer forma, o fato é que, mesmo que já tenha sido errado um dia (coisa que eu acho que nunca foi), hoje não é mais. Ela é maior de idade, dona do nariz, e tá bem e feliz com ele.

Sei que não é o caso de vocês, não me entendam mal, mas é muito curioso ver que muita gente que acha pedofilia um cara mais velho namorar uma moça de dezesseis, também defende que se deva condenar penalmente as mesmas pobres criancinhas indefesas, baixando a maioridade penal. Vai entender, né.

marcelo disse...

Lili, e se eles se amam (como parece que se amam, pois estão juntos até hoje), fazem o que então? Por causa da opinião publica fingem que não está acontecendo? O relacionamento é benéfico pros dois, meu deus do céu!! Fosse assim, então até hoje não teríamos pessoas públicas divorciadas, declaradamente homossexuais, etc, porque já houve um tempo em que também "não pegava bem" esse tipo de coisa. Eu, heim..

Lili Cheveux de Feu disse...

má, eu só acho que não é uma situação tão banal a ponto de o marcelo achar absurdo a crítica e os questionamentos públicos que recebeu.
não acho que tenha sido um "movimento babaca", não acho que ele não tenha que prestar contas. é um treco sério e acho que foi uma preocupação genuína do povo à época, questionando um cara público com trinta e poucos assumindo um relacionamento com uma adolescente. poderia ter aberto um precedente bem preocupante, ao meu ver.
que bom que HOJE a gente sabe, por eles estarem juntos ainda e estar tudo bem, que foi uma situação muito particular e felizmente "terminou bem".

agora, mudar o clima com uma piada terrível, posso?
tu disse que a mallu é uma garota saudável? olha, depois de vê-la ao vivo e em alguns vídeos na web, a gente começa achar que há controversias quanto à saúde mental, viu? ahUAHuaHAU.

marcelo disse...

Olha pro Camelo, Lili... e olha pros bebezões Fiuk e pros Bieber da vida... cá pra nós, acho que de louca (e de boba) ela não tem é nada!!! hahahahaha

lili cheveux de feu disse...

a gente não está falando de beleza, né? rsrsrs

Anabel disse...

"Talvez o relacionamento deles tenha começado exatamente porque não exista neles a maldade que existe na cabeça dos seus julgadores."

Concordo com o Marcelo!

E o que me espanta é você questionar esse isso tanto tempo depois.
Você não tem o que fazer, não? Tsc... Sinceramente...

(e pode até apagar esse coment se quiser, tô nem aí)

Lili Cheveux de Feu disse...

eu não apago não, anabel. se tu frequenta esse blog já devia saber...

é só uma pena que tu não tenha a mesma "classe" e tolerância que o marcelo tem para debater opiniões.

beijos.

Anônimo disse...

Marcelo, parabéns pela paciência e determinação em explicar o óbvio.
Mara

Lia disse...

gente mal-educada que não sabe discordar sem ofender é tão lamentável.

Anônimo disse...

Óbvio? Não é óbvio, é uma questão muito relativa. Eu, por exemplo, acho pedofilia (não no sentido exato do tipo penal, mas no significado etimológico da palavra). Eu acho pedofilia pq essa menina tem a CABEÇA de uma criança de 10 anos de idade, enquanto ele é um cara maduro e vivido. Eu acho um casal nada a ver. O Camelo caiu muito no meu conceito depois disso. Se eles deveriam ligar pro que a sociedade diz e não viverem o amor? Bem, o que eles deveriam fazer se ela tivesse 10 anos e quisessem namorar mesmo assim? A diferença entre os casos pra mim está APENAS na permissão da lei.
Lu

marcelo disse...

Lu, acho que nem vale mais a pena continuar essa discussão. Pra mim é óbvio que 16 anos é diferente de 10. Pra mim é óbvio que ela não tem cabeça de 10 anos. É uma moça que cresceu em um ambiente artístico, de uma família esclarecida, culta, que aos 12 anos já compunha, e aos 15 já tinha uma carreira. Você já formou esse conceito na tua cabeça e sempre vai enxerga-la como uma criança de 10 anos... coisa que ela definitivamente não é. Só pra ilustrar, se eu fosse levar o teu exemplo a sério, eu teria que considerar pedófilos boa parte de pessoas que eu conheço que namoram outras pessoas de 20, 30 anos, porque apesar dos 20,30 continuam a ter cabeça de 10. Se você quiser mandar um ultimo comentário aí, só pra ficar com a última palavra e não perder a discussão (hehehe) manda bala!! Da minha parte, acho que já não tenho mais nada a dizer. Beijos!!!!

lili cheveux de feu disse...

marcelo, só pra constar, essa lu aí do comentário acima não é a lu que você está pensando [ou ao menos eu ACHO que você está pensando, ok?].

Anônimo disse...

não faço competições pra ganhar discussões. bjos
Lu