quarta-feira, março 30

a gente não ganhou nada, nada, nada com a vitória de maria, feministas.

[se não me fiz entender, que se faça explicar. primeiramente, não se trata de um texto contínuo, mas parágrafos independentes com assuntos relacionados. segundamente, trata-se única e exclusivamente da MINHA opinião e em nenhum momento eu quis que parecesse se tratar da verdade absoluta... se quer se trata da opinião dos outros blogueiros desta casa. não, eu não sou feminista, nem estou tentando me incluir no grupo.]

eu tenho pavor de gente piranha. e quando eu digo "gente", falo sobre homens E sobre mulheres. lili, isso deve ser um desejo reprimido de ser, você mesma, uma piranha. deve ser, pode ser, quem sabe? QUEM SABE? minha mãe, freud, meu melhor amigo, a sociedade machista, o bial, ...?

[eu acredito que ninguém seja obrigado a aplaudir todos os diferentes comportamentos dos seres humanos. crítica todo mundo faz e todo mundo recebe. opinião cada um constrói a sua, de acordo com vários aspectos e análises particulares]

eu gostaria de saber por que a declaração "homem galinha é um horror" é muito bem aceita na rodinha, enquanto a declaração "mulher galinha é um horror" é coisa de machista filha da puta. quem sabe esta resposta? minha mãe, freud, meu melhor amigo, a sociedade feminista, o bial?

[minha pergunta aí em cima é genuína. se existem tanto homens, quanto mulheres com este comportamento e se tanto um quanto outro é passível de receber críticas, por que a gente vê uma agressividade/um absurdo muito maior quando é direcionado às mulheres? me parece que com isso a gente automaticamente assume o posto de sexo frágil e consequentemente alimenta o machismo.]

oi?

meus senhores, vamos nos localizar: ano de 2011, véspera do fim do mundo. tudo é permitido... só tem um porém: mostrar os peitos e a perereca na TV, pode; agora, mostrar pingolim não pode, pois é risco de antecipar o armagedon. por que mostrar os peitos, a perereca, ou mostrar que é piranha mesmo e foda-se o mundo, é ser mulher de verdade, saca? é ser autêntica, feminina, sem tabus, sem preconceitos, é queimar o sutiã, é ser foda pra caralho!!!

[eu enxergo esta superexposição do corpo feminino como um apelo masculino prontamente atendido. também pode ser vista como uma grande manifestação da libertação feminina, uma questão cultural de pura e simples admiração do corpo feminino, uma falta de demanda para a exibição do corpo masculino - que poderia gerar uma equivalência nas exposições - e várias outras coisas que não foram mencionadas nos comentários, mas EU vejo simplesmente como uma superexposição desnecessária que dá corda para o machismo. minha opinião, friso.]

eu, que não sou gay, já vi tantos peitos e pererecas nesta vida de espectadora que já perdi a conta. pingolim só me lembro de uns 3... aliás, sempre um choque. me recordo inclusive de um espetáculo teatral em que o pessoal se levantava e ia embora indignado ao ver um pingolim! MULHERES inclusas. enquanto era a atriz que estava peladinha, tudo bem, por que, em geral, peitos e perereca agradam a visão masculina. e pingolim, em geral, quem gosta de espiar são as mulheres. homem heterossexual acha a gota e vai embora. então, na luta contra o machismo e pela liberdade feminina, a gente faz o que? mostra os peitos e a perereca! \o/ alguém entende essa? mãe?

[idem ao comentário anterior]

mas afinal, queremos mais pingolins ou menos pererecas?

mas mudando de assunto, como é impossível definir uma pessoa em um único adjetivo, como espectadora eu digo que, dentre as mulheres da casa, eu gostava muito de diana, de natália, de talula, de paulinha e de jaqueline, exatamente nesta ordem. diana e talula no topo da beleza física. paulinha e jaqueline no topo da auto-estima em dia. natália e diana no topo do que mais se aproxima do "ser uma mulher foda e autêntica". tudo isso NO MEU modo de ver. maria? continuo achando uma boboca. bonita, sim, muito bonita. auto-estima em dia? bastante, mas contestável em vários momentos com o sr. maurício. piranha? pelo fato de ter beijado dois caras na casa? diana só não beijou o coqueiro e não tinha NADA de piranha. pelas roupas? jaqueline e talula não se vestiam de maneira muito diferente e não tinham nada de piranhas...

[agora sim, falando sobre maria. o que eu quis dizer, é que muitos outros lá dentro da casa do BBB tiveram comportamentos e apresentavam características passíveis de discriminação pelo público, incluindo a maria. mas, se daniel ganhasse, por exemplo, sua vitória certamente não seria tratada como bandeira para a luta contra a homofobia ou a superação do preconceito contra um cara que faz muita merda... seria a vitória de um cara bonzinho, com um projeto social para sustentar. da mesma forma, não acho que a vitória de maria representa qualquer vitória contra qualquer tipo de preconceito. é apenas a vitória de uma garota muito parecida com diversas outras garotas que já passaram pelo programa, mas que não tiveram a manha de criar o diferencial de maria: a novelinha que o público se envolveu. qualquer uma que estivesse no lugar dela, venceria. além disso ela é uma garota com carisma, como muitos outros, que se veste de uma determinada forma, semelhante a muitas outras, que beijou mais de um cara na casa, como muitas outras... mas infelizmente é o modelo de figura mais encontrado aqui no mundo real. peguei como exemplo a tal da sabrina sato: boboca, gostosa, enfiada no programa mais machista da TV brasileira, com a única função de exibir o quanto é boboca e gostosa. quero muito estar errada a respeito de maria, mas duvido muito que ela não irá se tornar a próxima sabrina sato. em pouco tempo a gente vai saber. aguardemos.]

mas mudando de assunto, vocês viram o ensaio de talula + rodrigo para o site paparazzo? uau.

[ah! uma mulher e um homem, num ensaio sensual! eu acho muito bacana.]

35 comentários:

Anônimo disse...

superficial mais uma vez! prah variar! kkkkk

desculpe pelo comentario negativo jah q pouca gente comenta aki! mas vc posta sapatos! vestidos, e o q mais? kkkkkkkk

O Barba :) disse...

Pintos são feios! Ponto!

Marie disse...

Num acho feio não.........

Hellen disse...

Não queria que a Maria ganhasse. Torcia pelo Wesley.

Para mim isso é só mais um retrato de um país que consegue transformar uma garota de programa em estrela de cinema. Ponto.

O Barba :) disse...

Ah! Marie! Não sei não, viu? Não é pelo fato de ser homem mas sempre achei pinto algo pouco estético. Se comparado a beleza de seios e pererecas, pintos são um desastre. São tortos, veiudos, multicoloridos, grandes demais ou pequenos demais... sei nao...

Não me ofenderia ver um pinto na TV, no teatro, onde fosse. Mas tenho que dar o braço a torcer de que MULHERES EM SUA TOTALIDADE ATENDEM MUITO MAIS AO BELO!

Não creio que seja cultural. Mas o pinto e o corpo nú masculino sempre foram contemplados na historia antiga, se hoje não são mais, motivo tem.

Anônimo disse...

Ainda bem que alguém com cérebro ainda dá as caras por aqui. Parabéns, Barba é exatamente isso. É tudo uma questão de beleza e estética e nada tem a ver com o que diz Lili.
Carola

Ana disse...

Afinal era sobre o BBB. Blé

O Barba :) disse...

A Ana! Desculpe... mantendo o foco sobre o BBB.


Eu, que não acompanhei, não vi e não soube deste tal de BBB só sei que queria que o Dan ganhasse.

Afinal, ele é gay, emotivo, brincalhão e ... NHOOOIIINNN!... cuida de velhinhos na instituição que dele.

Não é um fofinho?

Como os espectadores são sem coração. Espero que quando velhos não parem em um asilo de algum BBB.



=================
Anônimo! Só aceito mãos de conhecidos no meu saco, viu?
hauhauahuahau

Mari Biddle disse...

E daí ser piranha? E quem disse que a vitória de Maria é uma vitória do feminismo? Ser feminista é principalmente não dividir as mulheres entre SANTAS X PUTAS. Simples assim. Se a pessoa já partiu para a dicotomia Santas x Putas, não tem mais argumentação. Já dividiu. Já classificou nós mulheres entre as pra casar x as pra comer. Já nos dividiu novamente. É contra essa divisão que o feminismo, como movimento político, assina.

Lá fora, gente, os cabras não nos classificando o tempo todo. Na boca deles somos todas Marias e isso, dito de forma negativa. Eu já fui Maria, eu sou Maria, eu não sou melhor que Maria.

Bjs

Mari Biddle disse...

Pinto não vende porquê não tem demanda. Ofertas de mulheres desnudas tem aos montes pois, não sei se ninguém notou mas, nossas imagens servem pra vender de tudo pra homens. Eles são os consumidores de Playboy e afins.

Anônimo disse...

Eu já fui Maria, eu sou Maria, eu não sou melhor que Maria (II)

marcelo disse...

Discordo, Lili. As mulheres (deteso o termo "feministas", ainda existe isso? acho tão década de 60!), tiveram muito a ganhar com a vitória da Maria. Não só as mulheres, como também os homens. E só! Porque no fundo todo mundo é isso, né.. homem ou mulher, não importa se brancos, gays, velhas, gordos, índios, portadores de deficiência... com raríssississimas exceções, os hermafroditas e tal, todos somos só isso: homens ou mulheres. Alguns de nascença, outros que decidiram trocar no decorrer da vida, não importa...

O que Maria tem a ver com isso? Tem a ver que exatamente por ela fazer coisas que a gente não gosta, por ficar com dois ao mesmo tempo, por expor a perereca e os peitos, por se humilhar atrás de homem, por ser burrinha, ela tinha tudo pra ser odiada, eliminada, recusada, mas não foi... eu não sei se aquele jeitinho de tolinha e aqueles olhinhos sonhadores eram fingimento, teatro, ou não... mas veja, ISSO NÃO É IMPORTANTE!! O importante não é a vitória dela em si, mas os votos das pessoas. Foram com a cara dela e deram a vitória pra ela. Passaram por cima do fato dela ter feito todas essas coisas que normalmente são tidas como imperdoáveis para as mulheres. Enxergaram mais a mulher em sua inteireza do que a piriguete.

É muito significativo isso, muito significativo! Ela foi pintada pela edição do programa como a "pretty woman", deixaram claro o lado meio piranha dela, e as pessoas enxergaram além disso, além do rótulo. Nâo digo que concordo com o que enxergaram, particularmente preferia o Daniel como participante, mas veja... não importa O QUE eles enxergaram além, mas importa que eles enxergaram ALGUMA COISA. Conseguiram ver um ser humano multidimensional, com comportamento contraditório, qualidades, defeitos, coisas que irritam profundamente, e julgaram baseados no todo. Talvez, o primeiro passo para que boas profissionais não sejam vistas só como "a chefe mulher - a vaca mal comida" e sim como... "a boa profissional", ora!, para que gays sejam amados ou detestados por outras coisas e não somente por serem "gays". Ou negros. Ou gordos.

Mostrar o peito e a perereca não são tão bem aceitos assim. Ninguém se incomoda, todo mundo já acha ok. Mas nunca tinha visto antes ninguém dar um prêmio para quem faz isso. Elas podiam até mostrar, mas quem levava o prêmio pra casa era o Alemão ou o Bam Bam.

As coisas que não gosto na Maria são aquelas que compõem o meu "preconceito atávico", aquele que a gente tem e detesta, que é tido como traço cultural, que a gente aprende a ter desde a hora que nasce, e é exatamente por isso que eu fico feliz com a vitória dela. Pelas coisas que não gosto, como se estivesse levando um tabefe no meio da cara. Um tabefe bem merecido.

Com relação aos pintos, eu adoro! (hahaha, como se isso fosse novidade). E acho lindo! E acho que hoje, tudo é uma questão de mercado... o que dia em que quem gosta começar a dar ibope pra pinto, tenho certeza de que eles vão aparecer muito mais. Mas pra isso, a gente tem que ser um pouco mais Maria e assumir que gosta, né? Porque Playboy vende horrores e quem compra não tem um pingo de vergonha de assumir que compra porque gosta. Depende só de nós. Temos que aumentar a demanda! Sem medo de parecer piranhas ou bichinhas descaradas, porque la no fundo a gente sabe bem o que é e o que não é... e a gente sabe muito mais do que quem nos rotula e nos joga os rótulos equivocados na cara. Acho que é isso.

marcelo disse...

Eu já fui Maria, eu sou Maria, eu não sou melhor que Maria (III)

Marina disse...

Ai gente...é normal que pessoas SANTAS, PURITANAS E CASTAS se incomodem com a vitória da IMPURA Maria...zzzzzzzzzz

Anônimo disse...

esse blog DEFINITIVAMENTE já era.

Lili Cheveux de Feu disse...

marcelo, releia o meu post com toda a ironia que está embutida, como se eu fosse a fã nº 1 da maria. tu vai ver que muito do que eu tentei dizer [talvez tenha ficado extremamente confuso, pois tem muita coisa sendo dita além do texto quadradinho... além de eu sou uma péssima escritora] se encaixa no que você pensa. ;)

serve para os outros também. especialmente para vocês, mari e carola.

Lili Cheveux de Feu disse...

* além de EU SER uma péssima escritora.

Kiki disse...

hahahahahaha - adoro gente que se acha inteligentona dando discurso!

Anônimo disse...

Adoro pessoas que não entendem a ironia do discurso da Lili.

Anônimo disse...

é, lili, ficou confuso. eu nao entendi.

eu, de verdade, nao curto que passe essa putaria na tv. nem vou comentar quem é piranha ou não.

só quero lembrar que essa "oferta" de pepecas e peitos na tv é fruto do machismo e não vitória do feminismo. se nao existe pintos na tv é pq pra mulheres ainda é feio "querer ver pinto". E eu acho isso bom, mas queria que ver pepecas e peitos tb fosse "feio". Acho que as pessoas deveriam lidar com sua sexualidade em privado.

Lili Cheveux de Feu disse...

anônimo das 14h49, ficou confuso mesmo, amore, mas talvez fique mais claro se eu lhe disser que:

SIM, eu também abomino a superexploração do corpo feminino como um objeto de desejo [e consumo?] dos homens. e justamente por isso abomino mulheres que se prestam a este papel desnecessário. abomino ainda mais quando se prestam a este papel desnecessário como se fosse quebra de tabus, liberdade e autenticidade...

existem as sabrinas satos, mas graças a deus existem as grazis massaferas, lindas, que inspiram desejo sem baixar o nível, que inspiram admiração pelo talento e trabalho...

sobre a maria, claro que é muito bacana vermos uma mulher finalmente ganhar o BBB, mas até que ponto ela ter ganho mostra alguma mudança nos julgamentos do público, uma quebra de preconceitos, ou uma vitória feminista (como TÊM DITO POR AÍ, não fui eu quem falou)?

ainda mencionando os meus preferidos:
daniel é gay, se masturbou na grama, encheu a cara um milhão de vezes e falou um milhão de merdas, chorou pra caralho, fez fofoca, mostrou a bunda... quais dessas coisas pesaram para que ele não levasse um milhão e meio pra casa?
diana se assumiu bissexual, beijou todo mundo, se apaixonou por uma moça, falou tudo o que quis, foi mandona, ficou deprimida e chata, pulou sem sutiã na piscina. por que será que maria se livrou do paredão em que ela estava?

eu tenho pra mim que maria só venceu por que o povo se identificou demais com a moça que se rastejava apaixonada por um cara que não estava nem aí, mas que no final ficou com o príncipe. maria virou a mocinha da novela, virou a "pretty woman" como o marcelo falou. e quem é que não torce pela pretty woman, mesmo ela sendo puta, com maus modos, burrinha, etc?

se daniel ou diana ganhassem, seria a vitória do movimento gay e a quebra do preconceito contra o cara que se masturba ou a moça que bota os peitos pra fora para pular na piscina?
eu acho que não. assim como a vitória da maria não significa que o público venceu os preconceitos contra a moça humana que faz um monte de merda.

a bosta, EU ACHO, é que a criatura não é do time da grazi, mas do time da sabrina sato. e puta que pariu, não sei você, mas eu estou de saco cheio de sabrinas satos mantendo o mundinho machista.

eu acho que a gente merece meia dúzia de sabrinOOOS satos ou um milhão de grazis. só para equalizar esta merda.

Anônimo disse...

Lady Di deveria ter ganho, esse complexo de vira-lata elegeu a Maria.
É uma inferiodade que trazemos e tornar essa pessoa campeã foi um pretexto pessoal que fizemos pra tentar elevar nossa auto-estima.
Vergonha!!!!

Anônimo disse...

agora eu entendi, lili. concordo com vc.

Paulinha_SP disse...

Eu acho que piranha, galinha, é sempre o ó, tanto faz se é homem ou mulher.

xxxxxxxxxxxxxxxxx

Queria que o Dan ganhasse e na saída arrancasse e levasse o melhor amigo junto, o coqueirinho.

xxxxxxxxxxxxxxxxx

Bem mais fácil que a Adelaide, que abraça figueira.

xxxxxxxxxxxxxxxxx

A vitória da Maria foi a cereja no bolo da pior edição do BBB. Fechou com chave de ouro. Se a edição 12 já começar ruim como esta, juro que não gasto 5 min na frente da TV. O que não me custa. A Hel sabe.

carol disse...

Um dia eu quero ver uma mulher forte, decidida, inteligente, interessante, livre e que se responsabiliza pelos seus atos ganhando o jogo. Isso sim seria diferente. Uma mulher bonita e burra ganhando algo não é novidade nenhuma. O que assusta mesmo são as inteligentes, fortes e livres. São essas que apresentam um risco pro mundo como ele é hoje.

lili cheveux de feu disse...

"Queria que o Dan ganhasse e na saída arrancasse e levasse o melhor amigo junto, o coqueirinho."... aHUAHuahUAHuahU, MORRI Paulinha.

cris disse...

Oi, Lu. Sim, ficou bastante confuso. Tanto que parei antes do final e pulei para os comentários para ver se eu era a única que havia entendido errado. Uma vez nos tivemos um desentendimento por causa do vestido da Geisy [e outros, talvez, que eu não me lembro] e lendo o teu comentário agora eu percebo que o que te orienta é a mesma visão que orientou e orienta uma parcela mais tradicional e ortodoxa do movimento feminista. Talvez a Mari Biddle - que é bem mais esperta que eu nesse campo [não, não estou sendo irônica. Sigo a Mari no Twitter e pago mó pau pra ela] - pudesse explicar melhor. Existe uma outra via, com a qual eu tendo a concordar que é a seguinte: o fato de uma mulher ficar pelada numa revista masculina, fazer um filme pornô ou se prostituir não quer dizer a priori que ela esteja sendo vítima da sociedade machista patricarcal e falcêntrica, rs. Uma mulher tem desejos e assumir de antemão que ela SEMPRE vai ser a parte fraca e explorada é dizer que todas as mulheres são incapazes de gerir o seu desejo. A gente luta para que, cada vez mais, as mulheres possam adotar um comportamento chamdo 'biscate', se assim desejarem, sem que sejam julgadas por isso. O velho e conhecido 'tem que se dar ao respeito', esse sim, é o verdadeiro grilhão inventado pelos hmens e que muitas mulheres - a maioria, aliás - endossa. E, assim: nem toda mulher bonita é burra. Eu já vi a Sabrina falando em contextos outros que não o Pânico e não achei em absoluto que ela fosse burra. Existem feias burras, lindas inteligentes, gente que gosta de se mostrar mais ou menos. Existe de tudo e eu luto principalmente para ser respeitada em minhas escolhas, sejam elas quais forem. Ah, e existe feminismo sim, viu, gente? Aliás, é só por conta do movimento que as mulheres ganharam muito nas últimas décadas. Para ficar no mìnimo, na década de 50 uma mulher 'desquiatada' não era digna de entrar em ambientes 'de família', sexo, para as mulheres, era só para reprodução, mulher que assumia que tinha orgasmo era 'puta' e por aí vai. Feminismo não é nem nunca foi coisa de mulheres mal-amadas. Abram as cabecinhas. Beijo

cris disse...

Contrastando com o que você falou: http://entretenimento.r7.com/blogs/carolina-minha-filha/2011/03/03/talvez-fique-um-pouco-mais-longo-mas-e-importante/

Principalmente isso aqui: "Vocês podem se incomodar com a sexualidade explícita da Maria. Principalmente mulheres. Eu entendo, porque Maria personifica muitos dos nossos erros e nossas falhas. Nossa auto- estima confusa e nossa sexualidade bipolar. Maria é nosso maior pesadelo, nossas fraquezas e desejos ocultos colocados a mostra. Potencializados e mostrados na TV."

marcelo disse...

Hey, cris!! Concordo muito com você, muito.

Com relação às feministas, não sei se o puxão de orelha foi pra mim, mas se foi, o que eu quis dizer no meu comentário é que acho que já superamos algumas etapas... o feminismo foi muito importante em uma determinada época, e garantiu sim, os direitos básicos e respeito às mulheres. Apenas acho que hoje, o conceito é outro e que não faz mais muito sentido como movimento organizado. É implicância minha com rótulos mesmo, viu, desculpe se me expressei mal... Acho que se eu abrir a minha cabeça mais do que ela já é, corro o risco de tudo que tem dentro dela, cair pra fora! hehehehehehehe.

Beijos.

Lili Cheveux de Feu disse...

crisolda, "num dianta, fiá", a gente nunca vai concordar.
o que eu quis deixar claro - e pelo menos isso eu acho que ficou claro ali nos dois primeiros parágrafos do meu texto - é que eu abomino mulher biscate, da mesmíssima forma que eu abomino homem biscate. pode ser uma opinião puritana da minha parte. ou então sou dessa parcela ortodoxa e tradicional do movimento feminista. =P
o que mais me deixa pasma, é que tu fala uma coisa dessas que abomina a "biscatidão" feminina e é tachada de machista, de mal comida, de invejosa, etc. na minha visão é justamente aí que mora a síndrome de inferioridade feminina, por que dizer a mesma coisa sobre os homens, não tem problema algum, é aceito numa boa.
por outro lado, eu acho que cada um pode escolher o caminho que quiser, mas eu não tenho a mínima obrigação de admirar e aplaudir certas escolhas, especialmente quando elas são amplificadas num veículo como a televisão. pode chamar de preconceito, mas é exatamente o que eu penso.

e deixa eu falar um treco, uma outra coisa que eu tentei dizer com o post, é que não achei que maria tenha sido nem mais nem menos piranha que qualquer pessoa lá na casa. absolutamente. o problema vai ser aqui fora... gostei bastante dela durante muito tempo. acho até bonitinho aquela linha lolita que ela faz, mas a criatura perdeu completamente o meu amor quando serviu de capacho pro ridiculozinho a ponto de tirar a calcinha pra ele em rede nacional. aí vem nego dizer que com esse tipo de atitude ela "personifica as nossas falhas, nossas fraquezas". mas todo mundo personificou as nossas falhas! a gente se enxerga e se julga em todas as pessoas lá confinadas e será que não é muito mais importante a gente tentar entender o que levou o público a mandar a transexual embora nos primeiros dias? a deixar os gays assumidos entre os finalistas? eu acho que sim, pois, na minha visão, o que fez a moça ganhar o jogo foi o público ter se espelhado na sua trajetória amorosa. ela viveu um filme, viveu a mocinha de uma novela com final feliz e só por isso mexeu muito mais com o público que qualquer outra pessoa na casa e ganhou o jogo. e isso não tem nada de extraordinário. em qualquer filme, em qualquer novela, o povo torce pela historinha de amor da mocinha, tenha ela os defeitos que tiver, faça ela as merdas que fizer. e nesta novela, a parte mais bacana da luta feminista e que pouca gente falou, foi detonar aquele grupinho de ogros que humilharam as meninas de várias formas. o povo ficou mordido com o que eles fizeram especialmente com a mocinha do filme. e para coroar a vitória dessa luta, quem deveria ter ganho o prêmio do programa é o wesley. o cara bonzinho, que trata as mulheres muito bem, que esteve ao lado de maria sem julgá-la, que nunca dirigiu uma palavra ruim para ela, mesmo com a bonita tento colocado o cara no paredão mais de uma vez. o wesley sim é o símbolo da luta feminista no programa, não a maria.

cris disse...

Oi, Lu. Legal que você seja uma pessoa convicta, até quando se assume preconceituosa. Eu nunca bateria no peito pra dizer isso em voz alta, mas respeito a tua escolha. Acho que o Wesley ser bonzinho não faz dele um cara excepcional. Ele só fez o que todo mundo deveria fazer. Respeito é algo que deveria fazer parte das relações humanas no dia a dia e não como algo excepcional. Eu acho que você está confusa em muitas coisas nesse texto, mas eu já te vi confusa em outras situações, então acho que faz parte aí dessa tua busca - ou não, né? Vai ver você já teve um encontro com a Verdade com 'v' maiúsculo, coisa que eu acho que não existe, mas enfim. Não vou discutir opinião; cada um tem a sua. E desculpa se estou sempre sendo do contra, mas não consigo não me manifestar em algumas coisas. Bj

cris disse...

Oi, Marcelo! Olha, se existe fórmula pra ser fofo acho que você descobriu qual é, rs. Claro que ninguém é obrigado a ser versado em estudos feministas [sim, isso existe como uma linha de pesquisa em muitos centros de pós-graduação], mas se tem algo que eu posso dizer é: o movimento feminista evoluiu. Óbvio que queimar sutiãs em praça pública foi importante naquele momento histórico, mas hoje isso não faz mais sentido. Existem outras frentes porque o preconceito contra a mulher - assim como o preconceito contra os gays e lésbicas - toma formas nunca antes imaginadas. Se posso tomar a liberdade de te recomendar uma autora, ela seria Judith Butler. A muié é foda. Bjs!

Mari Biddle disse...

Lili do céu, eu reli o post novamente porque eu sou uma menina bem mandada mas, confesso, fiquei confusa também. Mas gostei que rolou todos esses comentários.

Ai, Marcelo, ainda tem feministas ainda. Olha eu aqui! A gente só tá trabalhando ( digo, escrevendo livros, palestrando, blogando) noutras areas do feminismo aí, parece que o feminismo só foi necessário quando ganhamos o direito de votar, por ex.

Anyway, nem vou alongar meu comentario pois devo desculpas a Lili por eu ter comentado on drugs ( só pode!) e ter me escapulido o obvio.

Mas nós, feministas, somos meio plugadinhas, quando lemos - ouvimos algum trenzinho, descabelamos ladeira abaixo. (brincadeirinha!).

bjs

Mari Biddle disse...

Eu fiquei muito feliz da Maria ter ganhando pois, a Cida ganhou por ela ser pobre - foi uma vitória da classe social não de genêro. No caso da Maria, foi uma vitória de um genêro e, ela meio que vingou Priscilão. Homem piranho tipo Alemão, ganhava BBB mas Priscila nunca teria chances. Agora parece que isso mudou mesmo na tão distante 11 edição.

bjs

Lili Cheveux de Feu disse...

cris, cris, me desculpe, mas se novamente você quer dar início às alfinetadas, nem deveria ter perdido tempo digitando o primeiro comentário [que foi ótimo por sinal e super ok].
podia ter lido, lamentado a existência dessa pobre pessoa tão preconceituosa e dona da verdade e ido embora.

não que eu te queira longe, de forma alguma, gosto muito de te ver aqui no FDD. só não vejo motivos para perdermos tempo e energia com coisa à toa, está bem?