segunda-feira, abril 1

Lips da Lili: Lollapalooza

Breves impressões (mais do mesmo):

Lama. Lama. Lama. Lamapraloser. Não consegui pensar em mais nada durante a sexta-feira. Perdi um par de All Stars, um par de meias da Puket, a cabeça e por pouco não perco um par de pés.

Estrume. Estrume. Estrume. Poucos lugares nos permitiam esquecer que estávamos num Jockey Club.

Mais estrume. Os banheiros, além de terem filas descomunais, estavam imundos, fedorentos, impossíveis.

Não fossem os amigos e o Eddie (o Vedder) que me esperavam para o sábado e o domingo, teria vendido meus ingressos às 23h da sexta-feira.

Nos dois dias que se seguiram perdi uma sola de sapato (comprado no mesmo dia com a intenção de afastar lama e estrume dos meus pés), a paciência, a resistência da lombar, um pouco do meu amor pelo Cake e a coragem de voltar ao banheiro.

E para não dizer que só reclamo, Flaming Lips e The Hives ganharam meu coraçãozinho. Impecáveis. Impressionantes. Também curti Two Door Cinema Club, The Killers, Temper Trap e The Black Kiss.

O Franz e o Kaiser Chiefs foram prejudicados por um som horrível.

O Pearl Jam foi prejudicado pelo palco baixo, um mar de 70 mil cabeças e os telões verticais (por que?) com um pessoal muito louco tanto na operação das câmeras quanto na seleção de imagens. Mesmo assim, não tem como não amar Eddie Vedder e sua turma.

Em resumo: não tenho saúde para uma sequência de três dias de Festival; só volto ao Lollapalooza se houver algo no line-up sem o qual eu realmente não possa viver; reitero o meu amor pelo Festival Planeta Terra (por favor, não desistam!!!).

3 comentários:

Denise Menezes disse...

Muito interessante seu post. Fiquei muito atraída pelas bandas que se apresentariam (Flaming Lips, The Black Kiss, The Killers e é claro Pearl Jam!!). Mas eu não tenho mais físico e mental para o desconforto. Aguentar uma bateria de shows, em pé, na lama, sem banheiro e é claro, fila para comprar água que seja =/ Desisti, assim como não vou a outros festivais no mesmo estilo. Sou a favor de show individual. Amo as bandas, mas temos que ter o mínimo de conforto para aproveitar, não é mesmo? Beijo grandão!

lili cheveux de feu disse...

Também não tenho físico nem mental para 3 dias, Denise. Descobri tarde demais. Hahahaha. Culpa do Planeta Terra, que foi maravilhoso, limpinho, tranquilo, sem filas absurdas, sem lama e só um dia. Se quiser ir a algum festival, vá ao Planeta Terra. Ouuuuuuuuuuutro esquema. Vale muito a pena. Beijos!!!

Deh disse...

Eu fiquei quebradona (no sábado comecei a chorar no meio do A Perfect Circle - quanto tempo esperando os negos virem e perspectiva zero de volta deles ao país - de dor nos pés, não conseguia ficar de pé), o sapato sensacional (um MacBoot) que me protegeu da lama me destruiu pés, mas no dia seguinte tava nova. Tive sorte com banheiros, só peguei um mais calamitoso no sábado e outro de noite na sexta. Fila também não rolou porque não comi lá, almocei bem todos os dias antes de ir, levei farofada na mochila e só bebia água (não bebo cerva em show justamente pra não ter que ir em banheiro o tempo todo).
Pra mim festival é um negocião, porque eu não tenho disponibilidade pra ir em show isolado (vários são durante a semana), então nessas ocasiões (é meu segundo Lolla, depois de 2 SWU) eu consigo despachar meu filho pros parentes no interiô e comparecer.
Ó. Eu digo que iria de novo, viu. Serião. Tô hipopotizada pelo Hives até agora, num curti dessa vez o Queens of the Stone Age (o de 2010 foi tão melhor pra mim), achei o Black Keys baixo, sofri com os vedderistas na grade do Puscifer prensando a gente. Periguei encontrar gente indesejadíssima que eu sabia que ia nos mesmos shows que eu sábado. Mas iria de novo, e vou os três dias dinovo se puder. \o/