sexta-feira, janeiro 13

Temperança

Hoje pela primeira vez eu escrevi um post, deixei ele lá nos rascunhos, li, reli, reli de novo, outra vez, e deletei. Alguns assuntos devem ser debatidos, mas tem uns que para mim são tão delicados que fica muito difícil encontrar palavras, não ser agressiva demais, fazer as colocações corretamente.

Eu queria falar sobre filhos, sobre a decisão de tê-los, sobre como cria-los, sobre a irresponsabilidade da maternidade/paternidade quando não se tem estrutura para isso e sobre adultos que se recusam a abandonar seus egos e suas infâncias. E sobre o mal que esses adultos fazem às suas crianças. E sobre como a vida pode ser muito cruel com quem não merece.

Simplesmente não dá pra me alongar nesse assunto, porque é tanta perplexidade e tanta raiva, que certamente eu perderia a razão e escreveria um caminhão de bobagens...

Mas sério, gente, vocês já sentiram muita, mas muuuita vontade de estapear muito alguém? Seguidamente, várias vezes... Pois é. É assim que eu estou, viu. Melhor ficar quieta pra ver se me acalmo.

Foda, né.

5 comentários:

lili cheveux de feu disse...

sei bem do que tu tá falando e sentindo, amore.

Dedé disse...

Também sei bem, Rose... e pelo menos superficialmente (já que você não escreveu realmente sobre o assunto) concordo com vc nesse assunto! :)

O Barba :) disse...

Abdicação e Dedicação!
Praticamente abandonei o mercado de trabalho por uns 8 anos da vida da minha filha. Acompanhei ela todos os dias, o dia inteiro com exceção do sono e da escola. Hoje tenho sim, uma humaninha de 14 anos, com as crises adolescentis normais, mas uma pequena de quem me orgulho muito pela inteligencia e maturidade para lhe dar com as coisas.

Mas é obvio, que todos que se espantam pela articulação, educação e não pentelhação da pequena me dizem:
Ah! Mas você teve sorte!

Aham! Sorte...

Danielle Almeida disse...

O Barba :), eu entenderia o fator "sorte" no que diz respeito que vc teve opção de se dedicar somente à ela, mas infelizmente, a grande maioria das mulheres não podem se dar ao luxo de deixar de trabalhar. graças à Deus, trabalho em casa e posso tb me dedicar 100% às minhas 3 pessoinhas. realmente é um assunto bem delicado e eu tb tenho MUITA vontade de bater em certas pessoas, gente que não poderia NUNCA ter tido filhos. nem em pensamento.

Patricia Scarpin disse...

Eu decidi não ter filhos por causa da infância e adolescência terríveis que tive. Não foi uma decisão fácil, mas sinto que foi a correta para mim.

xx