quarta-feira, maio 4

Sobre um banheiro

Aqui na senzala a gente se lembra que trabalha ao lado de um postinho de vacinação quando vai ao banheiro... A janela fica bem colada com a janela deles e de tempos em tempos a gente escuta uma criança chorando... Judiação.

*

Banheiro e povo sem noção aqui na senzala se entendem numa boa... Você está lá na salinha secreta fazendo suas coisas e sempre entra uma nêga para se olhar no espelho ou lavar aos mãos perguntando "Quem está aí?" e querendo puxar papo. Não é tudo o que a gente deseja quando está fazendo coco? Bater papo com a colega de trabalho?

*

Me lembro da primeira semana de trabalho aqui neste escritório, quando eu fui até o banheiro só para lavar as mãos e tinha uma dona lá fazendo um xixi. Quando ela me ouviu entrando, abriu a porta da salinha secreta e ficou conversando comigo com as calças arriadas e sentada no vaso.
É muita intimidade e desinibição pro meu gosto.

Um comentário:

Marie disse...

Credo Lili.... Eu sou daquelas que detestam aquela coisa de trocar de roupa na frente dazamiga... Imagina dividir intimidades escatológicas..…