quarta-feira, abril 20

Você sabe o que é certo?



A tortura pode ser justificada em alguma situação? Você roubaria o remédio que seu filho necessita para sobreviver? Há situações em que seria condenável falar a verdade? Quanto vale uma vida humana?

A Universidade de Harvard disponibilizou online as concorridas aulas de Justiça do Professor Michael Sandel que tratam sempre de temas perturbadores ligados à moral, à ética, à evolução social e à justiça. Temas ora polêmicos - como casamento entre pessoas do mesmo sexo - ora aparentemente pacificados - como a proibição de roubar ou matar - são apresentados e debatidos sob ângulos muitas vezes surpreendentes, e que certamente nos fazem reletir e repensar muitos de nossos conceitos. O conjunto das 12 aulas pode ser acessado aqui.

É realmente interessante e instigante. Não percam!!

4 comentários:

Andrea Nunes disse...

Rose, tu sabes que na semana passada, enquanto carregava minha filha de seis meses no colo, com 40 graus de febre, gemendo sem parar, para um hospital, pensei nisso. Ficamos presos em um engarrafamento e o marido andou no corredor de ônibus, cortou todo mundo, enquanto eu tentava me acalmar e ficava repetindo mentalmente "calma andrea, já já vocês chegam em um bom hospital e vão ser prontamente atendidas" paramos ao lado de uma farmácia e pensei exatamente sobre o que faria se não tivesse dinheiro pra comprar os remédios da minha filha. Eu roubaria sim, com ela ali naquele estado, quase desmaiada no meu colo, minha resposta foi que faria qualquer coisa pra salvá-la.

O Mordomo disse...

Muito bom.

Compartilhei.

Rose Foncée disse...

Andrea, e você estaria certíssima em roubar, viu. Mesmo que não fosse sua filha. Roubar é melhor do que deixar morrer. Eu conseguiria conviver tranqulamente, o resto da vida, com o fato de que um dia entrei numa farmácia e roubei um medicamento. Mas não conseguiria viver com o fato de que uma pessoa ou até mesmo um animal morreu sendo que havia algo que eu poderia ter feito e não fiz. É esse tipo de reflexão que estes vídeos proporcionam. Bom, né?

Mordomo, que bom que gostou!! Fico feliz.

Ana disse...

Viciei :)