quinta-feira, janeiro 13

A magia do conhecimento que tanto me agrada...

Amor em 4 Atos

Rose, em discussão com o casal mais famoso deste blog: Vi!!!! Gostei mais do "Ela faz Cinema" do que do episódio que hoje, mas não achei assim péssimo o de hoje. Achei muito dramático e desde "Eu Sei que Vou te Amar" o povo insiste em filmar discussões de casal que não chegam nem aos pés do feito pelo Jabor.

Marcelo, possivelmente antes de ler o e-mail da Rose: O que teve o primeiro de bom, teve o segundo de ruim. Aliás, o blá-blá-blá de Dalton Vigh e Carolina Ferraz me fez lembrar demais aquela chatice do cinema nacional dos anos 80, com aquela verborragia vazia de Jabor, Pereio e etc... só faltou ressucitarem o Thales Pan Chacon. Uó.

15 comentários:

Solineuzza disse...

Eu gostei dos dois. Assim, nada demais, mas ok. O primeiro de construcao foi melhor que o de te perdoo. Porem o segundo foi mais fiel a musica. Eu so na gosto da abertura. As musicas sao tao ricas, daria pra fazer mil coisas na abertura e fizeram uma merda. Podia ser cada abertura diferente da outra, a ver com a musica. Mas ne, ficaram com preguica.

Rose Foncée disse...

Achei o segundo pesado, dramááático, aquela relação doentia... o que mais me agradou foi o final, bem coerente com o texto do início.

Hoje tem Vladimir, né! Agora por que colocaram a Camila Morgado de coadjuvante e a Aline Moraes de principal, Deus explica.

Lilith disse...

Não deu para eu assitir nenhum dos dois...mas hoje eu assito...bjão.

Solineuzza disse...

Eh que a musica eh uma relacao doentia, entao eu gostei porque ficou petinente. Tipo, construcao eh uma musica muuuuito mais pesada, mas eles fizeram uma comedia, entao...

Adelaide disse...

Lilith, Tá no U2B...só catar e ver..

Saulo disse...

Eu achei o segundo um porre. Minha vontade era pegar a Carolina Ferraz e afogar naquela piscina. Pronto, falei.

marcelo disse...

Hahahaha Rose! É claro que eu não tinha visto teu email, né...

Acho Jabor uma fraude, um horror mesmo, pra você ver como é a vida. Chato, chato, chato.

(tô ansiosíssimo pra ver Aline Moraes de piriguete hoje... das 4 musicas, as de hoje e amanhã são as melhores. tomara que seja tão bom quanto o de Marjorie e Malvino...)

marcelo disse...

E cá pra nós... Marjorie tá cada vez melhor, não tão não? Começou tão sem gracinha e hoje acho ela uma quase-estrela. Vai longe a garota.

Joelma Terto disse...

Não vi nenhum dos dois, mas pela discussão, decreto: Rose e Marcelo são almas gêmeas, só que ao contrário.

lili cheveux de feu disse...

eu to amando tudo, tudo, exceto a abertura que realmente é uó. me deu vergonha alheia.

rose, pq a aline é mais gostosa que a ruiva, uai. e tão boa atriz quanto.

também acho que a marjorie está melhorando muito. eu só tenho uma birra com ela, que é a mesma coisa que eu tenho pela leandra leal, de uns trejeitos que cada uma tem e que me irriiiiiiiiiiiiiiiita.

Arabiane disse...

marcelo, acho que quando o jabor fez o filme ele estava recém começando a fazer análise também. por que a discussão do casal tem começo meio e fim e é coerente com a relação doentia que eles tinham, mas uma coerência que á gente só enxerga se tá acostumado a enxergar por baixo do tapete. por isso que eu gosto do filme. fora, que eu AMAVA o thales pan chacon de paixão!

marcelo disse...

Arab, legal a discussão e tal, acho super saudável, bacana, mas assim... DR boa é a nossa né, e olhe lá! Dura um pouquinho e já tem que acabar porque o cachorro fez uma gracinha, porque amanhã todo mundo acorda cedo, porque ta passando uma cena ótima no seriado favorito da gente, ou porque a gente tem que combinar quem vai ao banco pagar o condomínio, né... acho chatíssima essa gente que se leva a sério demais... me dá vontade de gargalhar quando uma parte do casal vira pro outro seriamente e diz algo como: teu erro é não me entender com a mesma profundidade como eu te perdôo, no contexto da dualidade em que nosso ciúme e nossa dinâmica visceral se estabeleceu! Pára, né. Vamo ali na cozinha terminar de lavar a louça, pelamordedeus!!

Agora me conta direito... macejura que curtia o Pan Chacon, é? Tô pasmo! Nunca pensei que ele fizesse teu tipo!

Rose Foncée disse...

marcelo, mas eu acho que não existe esse tipo de gente na vida real. esse tipo que fica discutindo e discutindo e discutindo verborragicamente. nunca conheci, pelo menos. tem os que quebram o pau sempre pelo mesmo motivo ou pelo mesmo comportamento do parceiro e se recusam terminantemente a fazer análise e seguir adiante com outro parceiro, cuja desculpa furada é estou esperando que o outro mude o comportamento.

não curto ver esse tipo de filme (do jabor) ou série (o episódio de ontem) por que me dá nos nervos. ver essa gente doentia que acha lindo ser ciumento (ou super compreensível) me angústia. sabe quando a gente encontra um cachorro todo estrepado e tem vontade de levar no veterinário e medicar prele ficar bom? pois é, me dá uma vontade de levar esse povo pro médico-da-cabeça... só que ao contrário do cachorro, que não é dono de si mesmo frente aos humanos, não posso simplesmente carregar a criatura rumo a uma potencial cura.

*****

sim, eu curtia muito! foi um dos meus musos da década de 80. até novela do sbt eu via por causa dele. e outro que eu adoro e tá voltando pra globo agora com gilberto braga é o petrônio gontijo. dava horrores, mesmo agora ele já meio passadinho...

lili cheveux de feu disse...

a parte do cachorro eu entendi, ro. rsrsrs.

Debora Fontes disse...

Amei Marjorie e Malvino, pra mim foi disparado o melhor de três até agora, em todos os sentidos. Com Malvino de pedreiro eu construia até castelo ;)